A “esquerda honesta” e o “PT que sobrou”

10 de abril de 2014 § 13 Comentários

a5

Ela anda “por baixo” e com a consciência ultra-pesada pela contribuição que deu para a outra chegar ao poder, mas ela existe e será tão essencial quanto todas as outras forças democráticas do país para a estruturação da resistência contra o que vem vindo por aí.

Falo da “esquerda honesta” – os quadros oriundos da antiga esquerda católica e os segmentos da esquerda universitária e da intelectualidade – que, no passado, deram a chancela de qualidade e o aval moral sem os quais o PT jamais teria chegado onde chegou, e que começou a desertar quando, uma vez no poder, o “PT que sobrou” revelou-se como o que é.

Hoje só divide esse grupo a quantidade de coragem moral de cada um em admitir o seu erro, declará-lo e posicionar-se claramente contra o monstro que ajudou a criar ou omitir-se para não ter de dar o braço a torcer. Ninguém mais tem qualquer dúvida razoável quanto à natureza do “PT que sobrou” e sobre para onde ele está levando o Brasil.

a2

Já esse “PT que sobrou” é o que mistura a nata que boia por cima do lodo do peleguismo sindical com os restos da “esquerda armada” que atuou contra a ditadura militar – formando o “nucleo duro” de poder do partido – aos quadros do funcionalismo publico e do staff das estatais que “são de esquerda”, digamos assim, por dever de ofício.

O sindicalismo pelêgo é bandalho e antidemocrático na alma; por formação; essencialmente.

Seus quadros carregam a marca do pecado original. Quem está lá, está lá porque “é” . São os Faustos da periferia que venderam consciente e deliberadamente a alma à versão getulista do mesmo veneno que condenou a Itália fascista ao desastre e a Argentina peronista ao mergulho sem fim na decadência em que ela se afunda ininterruptamente ha quase um século:

Crie um sindicato, não importa se algum trabalhador realmente o tem como seu representante, que o Estado passará a te sustentar. Mas não de graça, naturalmente…”

a12

São eles os mercenários do Sistema de poder que o peleguismo sustenta; os paus-pra-toda-obra que já deram provas do seu valor nas inúmeras “eleições sindicais” disputadas na fraude e na bala porque passaram; os dispostos a tudo para permanecer agarrados à teta abocanhada.

Já a “esquerda armada” nasceu dentro de uma elite da classe média que embarcou no canto de sereia da “moral revolucionária” leninista que fez o mundo mergulhar na onda terrorista dos anos 60, 70 e 80 do ultimo século do milênio passado, quando era “chic” ser radical e “bonito” matar, principalmente inocentes, por uma “causa”.

Misturam-se em suas fileiras os idealistas autênticos que hesitaram sempre em cruzar a linha do crime de sangue e os psicopatas que aproveitaram essa rara “janela de oportunidade” para libertar essa sua segunda natureza e que resistem até hoje em atravessá-la de volta para os aborrecidos campos da paz, gente para quem sempre foi mais importante o inebriante sentimento de onipotência proporcionado pelo ato de matar que o “sentido político” das mortes que infligiram em nome da “causa”. Tão mais importante que nunca hesitaram em assassinar os próprios companheiros que, por razões de “consciência burguesa” hesitaram diante do homicídio ameaçando acabar com a festa dos bebedores de sangue.

Percorra-se a lista dos crimes da “esquerda armada” e saltarão dela, imediatamente, os nomes que se repetem em todas as ações mais bárbaras. Não é mera coincidência…

a9

Depois do Foro de São Paulo a “esquerda revolucionária” trocou oficialmente o fuzil pelos bilhões como arma de conquista do poder. Mas conservou os mesmos objetivos: “matar” adversarios, matar instituições, matar liberdades.

As nuances nas hostes dos “acima da lei” migraram intactas para a nova realidade. Estão, todas as de sempre, representadas dentro do governo petista onde há um ou outro gato pingado que ainda hesita em assassinar as liberdades democráticas mais fundamentais e os que as desprezam e apedrejam diariamente; ainda há quem mantenha algum limite no expediente de “roubar pela causa” e quem já não enxergue mais nenhuma fronteira entre ele e a volúpia de se locupletar, seja porque se corromperam pelo dinheiro mesmo, seja porque se corromperam pela onipotência que o dinheiro proporciona seja, ainda, porque viciaram-se no ato mesmo de tomar o que não é seu e sorver a agonia da vítima assim “justiçada”.

De qualquer maneira, uma coisa é certa. A remissão não começará senão quando o Brasil aqui de fora redefinir seus critérios e recolocar a fronteira no lugar de onde ela nunca deveria ter saido: na linha que separa esquerda e direita democráticas de esquerda e direita antidemocráticas.

a14

Marcado:, , , , , , , , , , , , , ,

§ 13 Respostas para A “esquerda honesta” e o “PT que sobrou”

  • Jose Martins disse:

    Está todo mundo vendo e predizendo o que pode vir por aí.Por palavras não se resolve,pelo voto também não.O voto distrital com recall é uma saída ,mas demora;nós não temos tempo só vejo uma saída ,e,tem que ser já “as armas “. As oposições são muito fracas e tentam ser éticas.Quando o inimigo é safado temos que ser safado e meio, Date: Thu, 10 Apr 2014 20:24:02 +0000 To: jmbquimica@hotmail.com

    Curtir

    • flm disse:

      eu não acredito em “soluções” desse genero, srs., nem se houvesse um clima q permitisse considerar isso a sério, coisa q ñ ha.
      isso só leva ao ponto ao qual estamos voltando.
      hj ninguem confunde mais assassinato com ideologia. os assassinos, qdo afloram, tem de se apresentar como o q são, apud celso daniel. e acabam caindo de podres sozinhos.

      Curtir

  • Fernão, não acredito em “esquerda” honesta e nem democrática na América Latina. Nos países nórdicos pode ser. Somos frutos de colonização que não foi das melhores, lembrando a título de exemplo dos EUA, descobertos só 8 anos antes, e dos franceses, ingleses predominando. Bem é passado, mas importou na miscigenação. Nossa esquerda é burra, despreparada e sobretudo rancorosa. Da minha geração foi o Zé Dirceu e outros próceres, todos vagabundos nunca estudaram ou trabalharam, vivendo de sinecuras ou doações,e sempre criticando. Farinhas do mesmo saco, os que se refinaram, foram pro PSDB enquanto os que não foram pro PT. Essa é nossa realidade, Temos que tirar esses vagabundos do governo, ” e não me impota como” porque eles JÁ afundaram o Brasil, moralmente e na economia. Serão anos à recuperar nossas conquistas econômica, bastando ver os números e suas projeções sérias. Incrivelmente o PT conseguiu unanimidade na avaliação negativa de seu governo, seja daqui ou de fora, claro, exceto se questionar a Venezuela, Cuba ou Moçambique.”Nunca imaginei de que um dia escreveria isso: Eu era feliz e não sabia, leia-se com os milicos!!!!

    Curtir

    • Rogerio Igel disse:

      Concordo com voce Marito, mas não acredito que tenhamos generais de plantão dispostos a isto. Mas o povão vai para as ruas durante a copa (que vai acontecer aos trancos e barrancos) e aí veremos. Abraço,

      Curtir

  • Femasin, meu caro. Este artigo me tocou profundamente. Ex-militante petista (de base) e de movimentos sociais (antes deles serem cooptados e aparelhados pelo petismo), estive mais que envergonhada. Adoeci. Estive péssima. Difícil aceitar que a energia, o trabalho, a confianca nos companheiros, o pagamento do dízimo, as incontaveis reuniões onde se disctia tudo (que em tese seriam aprovadas pelo Diretório Nacional), tivessem resultado naquilo que estourou em 2005. Difícil aceitar que ajudara (modestamente) a construir um “monstro” autoritário e que se pretende totalittario, dera-lhe meu aval e o ajudára a por-se em movimento .Faz pouco estou me reconciliando comigo mesma. Não fui eu quem sequestrou os sonhos de toda uma geracão educada sob os preceitos de Grarmsci. Nào fui eu quem mentiu, iludiu, roubou e continua roubando os cofres públicos, aparelhou o Estado, e aos poucos vem anulando a independência entre os três Poderes, que são os pilares de uma República em nome de uma suposta “causa”, que ao fim e ao cabo e apenas a “causa” dos corruptos e corruptores que se apossaram do governo e do Poder. Não sou eu a antidemocrática. Pelo contr’ario. Infelizmente, ainda, nao temos uma OPOSICAO a altura. Mas, como não acredito que a História esteja pronta, dada e pré-escrita, coloco-me ao lado dos defensores das liberdades democraticas, sejam da direita ou da esquerda, para limparmos este país e expulsarmos a corja que dele se apossou.
    Sinto-me mais leve agora. Menos culpada.
    Obrigada,

    Curtir

  • flm disse:

    eu passei 30 anos dentro de redações, Helena, onde havia muitos como você.
    são meus amigos ate hj e sei como estao se sentindo, os mais corajosos, como voce, que ja o admitem, e os que ainda não o admitem.
    espero que todos, de todos os “lados”, descubram logo onde está a verdadeira fronteira.
    este será o sinal seguro da remissão deste país.

    Curtir

  • Marcelo disse:

    A virtude, o caráter são qualidades que estão muito acima da opção ideológica do indivíduo, qualquer que seja esta.

    Curtir

  • José Luiz disse:

    Prezado Fernão, ainda bem que o título “esquerda honesta” está entre aspas, pois ela não existe. A esquerda não sobrevive sem a mentira e os que compactuam com essa ideologia sanguinária são criminosos ou inocentes úteis, que o próprio Lenin chamava de idiotas úteis.

    Curtir

    • fernaslm disse:

      pois eu tenho conhecido gente de vomitar e gente de redimir a fé na espécie dos dois lados, jose luiz, tanto pessoalmente quanto personagens da história.
      na verdade no meu tempo quem pensava assim, carimbando, eram eles.
      eu sempre achei que a vida é menos simples que isso…

      Curtir

  • José Luiz disse:

    Prezado Fernão, não estou carimbando, apenas constatando, pois o que vem acontecendo aqui e o que aconteceu onde essa ideologia se instalou, me leva a essa conclusão. Quanto aos ex- esquerdistas, dizem que são os maiores críticos dessa ideologia pois, ao perceberem o tamanho do engodo se sentem tão envergonhados, indignados e traídos por terem acreditado nessa utopia que se transformam nos mais ferrenhos críticos. Quem sabe seja o caso dos redimidos.

    Curtir

    • fernaslm disse:

      eu tbem estou só constatando, jose luis. toda vez qie alguem se acha tao bom e tao mais certo que os outros que quem nao é exatamente igual a ele nao merece viver, da merda.
      e isso acontece qdo qualquer dos lados se afasta radicalmente do centro.
      é constatação. é história.
      o que vivemos hoje é caso de polícia. mas nao imaginar que pode-se resolver casos de policia com ideologia ou vice-versa.
      tbem da merda. tbem é constatação. tbem é história…
      só tem um remédio que funciona, e mesmo assim mais ou menos: chama-se democracia.

      Curtir

  • José Luiz disse:

    O problema é que eles se acham assim, “tão bons e tão mais certos que os outros”. Enquanto nós os enxergamos como adversários eles nos enxergam como inimigos. Enquanto queremos derrotá-los nas urnas e, se possível mandá-los para a cadeia, eles nos querem mandar para a cova. Espero realmente que esse caso de polícia seja resolvido pela polícia, mas não podemos dar as costas senão quem vai para a merda somos nós. Como dizia Churchill, a democracia é o menos pior dos regimes. Espero que esse remédio funcione, mesmo que mais ou menos.

    Curtir

  • Nicolau disse:

    POVÃO BUNDÃO VOTA NO PT LADRÃO DO MENSALÃO!!! A CRIMINOSA MINORIA ORGANIZADA DO PT VAI DESTRUINDO DEVAGAR OS BUNDÕES DA MAIORIA DESORGANIZADA!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento A “esquerda honesta” e o “PT que sobrou” no VESPEIRO.

Meta

%d blogueiros gostam disto: