Bolsonarizamo-nos!

12 de maio de 2020 § 66 Comentários

Artigo para O Estado de S. Paulo de 12/5/2020

Tá feia a coisa! 

O Brasil Oficial bolsonarizou-se. Agora é golpe contra golpe suposto. Fato não vale mais nada…

Porque foi mesmo que essa coisa começou? Alguém se lembra? É capaz de precisar? Qual o inquérito que queriam parar? Qual a lei que foi violada? E essa urgência toda, desenfreada, sumária, é pela gravidade do crime? É para livrar o povo brasileiro de algum desastre iminente? Ou é só função da agenda biográfica do ministro Celso de Mello? Ele nós sabemos que tem pressa. Sua história acaba em novembro e sua eminência reverendíssima quer, declaradamente, um “fecho de ouro”. 

Alexandre de Moraes? 

Bolsonarizou-se. Teve um repente de emoção e deixou rolar queném presidente na cerca. Nem a lei, nem a razão. Fez lei do que sente. Ele com ele. Sozinho. 

O colegiado? 

Bolsominionizou-se. Respondeu como patota. Nenhum argumento. Nada sobre a constituição. Amiguismo só. Agora é guerra! Com ou sem Celso de Mello! Delenda Bolsonaro! Devassem-se as reuniões do ministério! O banheiro do presidente! Tem plano B e tem plano C, seja quem for que ele ponha no STF…

A imprensa? 

Vai de arrasto esse rabo do Brasil Oficial. A mais doente virou personagem de si mesma. As manchetes são cada vez mais auto-referentes. Onde já houve informação e demonstração hoje ha dois ou três caroços de raciocínio boiando em enxurradas de adjetivos. É um bolsominion pelo avesso igualzinho ao STF. Ou pior! Atira aos cães a própria instituição do jornalismo. Os ostras do bolsonarismo agradecem empenhados. Deixariam de existir se não tivessem essa imprensa que pede pedradas. 

É esse o dom divino do “Mito”. Tudo que ele toca bolsonariza-se ou bolsominioniza-se. Não é homem de ação, é homem de falação. Suas palavras partem do e são recebidas pelo cérebro reptiliano que ainda pulsa por baixo do nosso. Mal batem no ouvinte trancam-lhe o raciocínio e desatam tempestades de reflexos violentos. Não ha explicação científica. A conflagração sobrevem incontrolável, nevrálgica. 

Fez da pandemia um instrumento inegociável de confronto. O STF instalou-o no mais covarde dos “eu não disses”. Se estivesse querendo vender caro a quarentena, que é o que dá em sã consciência pra fazer num país onde a saude pública sempre esteve à beira do colapso, estava colhendo dados, desenhando parâmetros para balizar a saída para a quarentena inteligente. Em vez disso saiu por aí cuspindo e tragando perdigotos. “E daí”? Dez mil vidas e estamos na estaca zero. Meia quarentena pára a economia inteira mas o vírus continua a mil. É a festa da morte.

Para comprar ou para vender Bolsonaro só dá saída pelo que não é. Que golpe, que nada! Os milicos estão cevados na privilegiatura. Não querem mudar nada. Ele é louco mas não rasga dinheiro. Nem mostra seu exame de Covid. Paulo Guedes é o rótulo atras do qual esconde-se o sindicalista de fardado que sabota todas as reformas que foi eleito para fazer. Nem no meio da pandemia admite que toquem na privilegiatura. Prometeu um veto à punhalada que ele mesmo deu nas costas esburacadas do seu ministro quixote porque não está dando pra perder mais um “pilar” debaixo desse tiroteio. Mas é só se reequilibrar que crava de novo.

E o dólar voa e a ladroagem ruge…

Brasília?

Brasília não está plenamente convencida de que exista um povo brasileiro. Vive aterrorizada pela idéia de cair das beiradas daquele mundo plano e absolutamente estável para o inferno que criou aqui fora. Para esses negacionistas o Brasil Real é tabu. É rigorosíssimo o protocolo da corte. Lembrar Brasília, assim, sem aviso, de que existe um povo brasileiro e que ele está no fundo do abismo de tanto pagar os luxos das excelências é dar prova de “vergonhosa deselegância” e “má educação”. Esse negócio de congelar salários do funcionalismo por 18 meses nem que seja só por vergonha só pode ser fruto de alguma maquinação maquiavélica punível pelo STF. 227 anos depois da decapitação de Maria Antonieta, Brasilia e o jornalismo dos bolsominions pelo avesso acreditam piamente que reduzir privilégios da privilegiatura é “altamente impopular”. Um perigo! Põe o país “em risco de instabilidade institucional”.

A única doença do Brasil é o descolamento absoluto do País Oficial do País Real. Todo o resto são só sintomas. As deformações mais horripilantes são fruto da antiguidade do mal. Ha no Congresso Nacional e no serviço publico marajás de 4a ou 5a geração, às vezes mais. Desde o bisavô, desde o tataravô que essa gente não paga uma conta. Sua alienação tem a solides inabalável da autenticidade. Não tem cura. Não tem volta porque jamais chegou a “ir”. Nasceu assim.

A democracia representativa é uma hierarquia rígida. A inversa da que temos. A arrumação do Brasil começa pela ligação do “fio terra” do Pais Oficial no País Real que se dá pela instituição do voto distrital puro, o único que estabelece uma identificação concreta e verificável entre cada representante e os seus representados que devem ter poder de vida e morte sobre seus mandatos a qualquer momento. Esse tipo de voto educa. Uma vez instituído a limpeza começa e nunca mais pára. E tudo se vai arrumando. É só questão de tempo.

Marcado:, , , , , , , , , , ,

§ 66 Respostas para Bolsonarizamo-nos!

  • Marcos andrade moraes disse:

    Isso começou porque vc, autocrata, acreditou e votou em Bolsonaro; isso começou porque vc, ao sentir que fez merda, resolveu delirar afirmando que os generais, tudo gente boa!, impediriam o pusilânime de fazer merda.

    Paulo Guedes parou no Chile em 1980, mas vc resolveu acreditar!

    Vc preferiu acreditar nos seus delírios como seu pai em 1964.

    Esse texto é de um delirante.

    MAM

    Curtir

  • Miguel Burihan disse:

    Perfeitamente claro, o que mais me assusta é que ninguém que pode fazer a diferença vê, ou não quer ver, por este lado. O fio terra no Brasil tem uma conotação dupla e acho que a segunda é mais conveniente neste caso.

    Curtir

  • Colateral disse:

    Prognóstico fechado.Pessimo

    Curtir

  • Carmen Leibovici disse:

    Tomara que isso do seu último parágrafo se realize algum dia em breve,de preferência.
    Bem difícil,mas sempre há esperança.
    Um trecho do seu texto me lembrou de Michel Temer,um dos marajas ,quando ele disse ,há alguns poucos anos ,que seria “deselegante ” tomar uma certa atitude perante o Congresso( não lembro qual,infelizmente)que iria a favor do povo brasileiro.É bem isso mesmo.Eles são uns,em muitos casos,apenas ladrões elegantes.

    Curtido por 1 pessoa

  • rubirodrigues disse:

    Quando o hominídeo descobriu que tinha consciência, iniciou a aventura de conquistar as lógicas e dominar a razão e assim, tornar-se realmente homem. Iniciou-se a vida na caverna de Platão ou no inferno de Dante, como queiram. Como estávamos demorando muito para ganhar coragem e sair à superfície, a natureza mandou um vírus para tornar a vida na caverna insuportável e nos expulsar dela. Todo nascimento é traumático e foram as comadres mundo afora e não os intelectuais que iniciaram a transição, refugando as ideias socialistas da Pós-Modernidade, tanto quanto as capitalistas da Modernidade. Estamos em pleno Renascimento II, regozijemo-nos! Voto distrital puro é certamente necessário, mas insuficiente. Precisamos nova forma de pensar, nova concepção de Estado e novo Pacto Social.

    Curtir

  • Crer em alguma mudança para melhor apenas substituindo pessoas é infantil, utópico, ultrapassado. Um sistema que depende da honestidade humana para funcionar está fadado ao fracasso. Por isso é urgente a transferência da energia gasta depositando esperança em pessoas para o empenho em moralizar e fortalecer as instituições.

    Curtir

  • Crer em alguma mudança para melhor apenas substituindo pessoas é infantil, utópico, ultrapassado. Um sistema que depende da honestidade humana para funcionar está fadado ao fracasso. Por isso é urgente a transferência da energia gasta depositando esperança em pessoas para o empenho em moralizar e fortalecer as instituições.

    Curtir

  • Que voto distrital tende a ser melhor do que essa porcaria que temos hoje, eu concordo. Só que simplesmente repetir “voto distrital” é só uma palavra de ordem vazia como os slogans socialistas dos adolescentes. Cadê uma proposta substancial por trás disso? Haveria repartição dos assentos da Câmara? Como seriam definidos os distritos? Como evitar a redistritanagem? E como acabar com esse atavismo absurdo que é a eleição por maioria em dois turnos?

    Curtir

    • Herbert Sílvio Augusto Pinho Halbsgut disse:

      Sr.Mandel, os tópicos que o senhor cobra serem tratados já foram muitas vezes analisados em [ Posts ] anteriores por muitos dos seguidores do Vespeiro.com. . Retomar essas análises e dar corpo a uma proposta de ação para ser entendida e praticada pelo povo. Clique no final da página, no lado direito, como o sr. já conhece e busque pelos textos anteriores e comentários.

      Curtir

  • Ulrich Dressel disse:

    “Não ha explicação científica. A conflagração sobrevem incontrolável, nevrálgica.” Faltam logo dois acentos (gráficos) numa só frase. Mais adiante num “atras”. Precisava de assentos no meio do caminho percorrrrido que só, para renovar o fôlego! Socorro!

    Curtir

  • GATO disse:

    A coisa não tá feia ainda, vai ficar é só ler os avisos no Painel de Comando:
    “Neste momento, ou dividimos com a favela a riqueza que ela sempre produziu, ou vamos dividir as consequências da miséria que a elite sempre concentrou”
    ” Ä crise mais expressiva que uma sociedade pode ter é a de perspectiva. A hora em que essa perspectiva some, aí nós estamos falando de anomalia, selvageria, rebelião nacional. Todo mundo perde. Não adianta estar em casa, com estoque, que ela vai ser invadida”.
    Celso Athayde – Coordenador Geral da Cufa.
    É só esperar para ver Junho TAÍ e não é refrigerante. Mais explicito que isso não tem. É bom mandar e mandar e mandar caminhões repletos de alimentos para a entrada dessas comunidades e se possível um batalhão de moto-boys para a distribuição de porta em porta, pois se eles sairem, não sobra um meu irmão.
    A culpa é de quem, não sei precisar. Lá trás teve um que queria jogar todos ao mar, mas não foi bem recebido. Outros criaram bolsas com a contra partida errada, vacinação, boletim escolar, etc. O correto teria sido ao estilo chinês, um só filho, ou quem sabe planejamento familiar. Mas….agora é tarde, já foi, as consequências estão ai e por bem ou por mal vão ser resolvidas. ESTADISTAS cadê, o último que me lembro se aposentou e não voltou “Pedro Simon”, tem um rapaz novo lá no Sul, pode ser que dê Leite.
    De resto é rezar…quem acreditar.

    Curtir

  • Herbert Sílvio Augusto Pinho Halbsgut disse:

    Fernão, seu artigo de hoje publicado no O Estado de São paulo (A2,12/5, Notas e informações0 é mais uma abordagem explicitando que: ou rompemos com o modelo atual de política e estrutura de Estado, ou continuaremos sofrendo mais do mesmo de sempre, que é a espoliação dos nossos direitos pela privilegiatura crônica e hereditária que invadiu os três Poderes, hoje pouco republicanos.
    O Brasil oficial pode estar se bolsonarizando, mas o povo real que paga os impostos que mantém a privilegiatura já está acordando e quer, a cada dia, mais distância dessa bagunça que deixamos tomar conta das coisas públicas.
    Muitos ainda fingem acreditar em Papai Noel para resolver esses problemas que nos aflingem devido as ações nefastas da privilegiatura, essa sinecura enorme oficializada em leis, onde muitos não estão nem aí com o mundo real e, outros tantos, se escondem, fingindo-se meio arrependidos por que gostariam… mas não conseguem… despatotizar! Aí, para muitos é muito mais conveniente o de sempre: enturmar com a patotagem geral e irrestrita – hoje reforçada pelas milícias bolsonarianas, camisas pardas -, à revelia do que determina nossa Constituição Federal, trapo em boca de vampiros que elegemos!
    Precisamos sair desse torpor e deixarmos de lado para sempre nossa lascívia macunaímica.
    Não basta ter um líder que aponte o caminho, é necessário também uma massa de seguidores agindo para se conquistar a liberdade de poder poder!

    Curtir

    • Herbert Sílvio Augusto Pinho Halbsgut disse:

      No último parágrafo usei o termo “massa” de seguidores, mas fica melhor “uma maioria” de seguidores.agindo para se conquistar…. De massa já é demais os bolsonarianos camisas- pardas.

      Curtir

  • Mandato é modalidade especial de contrato. O instrumento do mandato é a procuração, que somente o mandante assina. O liame se fecha quando o mandatário, id est, o procurador, tacitamente aceita a incumbência especificada no instrumento. Característica essencial é a revogação por livre vontade do mandante, sem necessidade de justificação: zé fini! Ora, o mandato por meio de eleições para representantes políticos, o chamado voto popular, é uma corrupção do mandato: os mandantes – a população – ficam sob a tutela dos parlamentares e dos membros do poder executivo por prazo certo e descem à condição de servidoresvdos que haveria de servi-los, passam de senhores a escravos. E tome privilégios sem conta! Na democracia direta quem manda são os mandantes. Só o voto distrital puro com revogação do mandato – o recall – pode estancar a sangria, resolver os problemas sob controle dos votantes/mandantes. Assim entendo a cruzada de Fernão, grande brasileiro! E lhe apliquei um apodo: “FERNÃO, A VOZ QUE CLAMA NO DESERTO”

    Curtido por 2 pessoas

    • natalin disse:

      suas observações são pertinentes e corretas. Mas todos omitem o mais importante : como fazer estas modificações ? estes políticos que ai estão ? vamos esperar as próximas eleições para tentar mudar a composição do congresso ? Acordem ; o sistema político se blindou com a ajuda do STF e demais tribunais. E ai ?

      Curtir

  • pedromarcelocezarguimares disse:

    Quanta indignação!!!! É de lacrimejar o crocodilo mais voraz!!!
    Eu não votei em nenhum quadrilheiro togado do STF, muito menos no Batoré, no Botafogo ou qualquer outro corrupto saqueador do Estado que está lá por meio de oligarquias partidárias e do indecente coeficiente eleitoral. Bolsonaro foi e continua sendo a opção da maioria!
    Exigir do Presidente da República ações mediatas e corajosas que frutifiquem mudanças estruturais planejadas no país ingovernável, que possibilitem o resgate a soberania nacional, maior democracia representativa e respeito às liberdades individuais, sem ferir a C.R. é ilusão. Espera dele uma postura ditatorial, opressora, típica de caudilho moralista. Não alimente essa esperança insólita no Quixote, honesto e valoroso que continua ser o herói amado de multidões.

    Kkkkkk… Militares na privilegiatura! Onde, quando¿ Nós temos apenas o general da banda, que presta continência com a ponta do cotovelo com medo do vírus!!!! Isso talvez exemplifique o ânimo da caserna! Apática, fragilizada, decrépita, desaparelhada (material e intelectualmente) e alienada (geopoliticamente). Mas, ainda, concedem à nação o exercício do poder democrático, missão facilitada pela existência uma população pacata e subjugada pelo desarmamento civil e talvez favorecida pelo tempestivo e velado interesse de grupos marxistas de narco-terroristas que atuam livremente na América Latina (FARCS, Stedile, MST e afins). Nada de militares da privilegiatura, apenas concessão de migalhas!!!

    Espera o quê do exército de um homem só, salvação nacional!¿. DEIXEM-NO TENTAR PRESIDIR O PAÍS, talvez, daqui alguns anos, tenhamos um Estado menor que o Brasil!

    Curtir

    • natalin disse:

      perfeito e sensato, mas os isentões que povoam este site gostariam de ver um presidente tradicional : ladrão e corrupto. assim tudo funcionaria bem, inclusive a ‘articulação política” .

      Curtir

    • Olavo Leal disse:

      Comentário extremamente sensato! Difícil imaginar um conjunto de cerca de 250 mil homens e mulheres na… privilegiatura? Onde? Num das dezenas de pelotões de fronteira? Em mais de mês no mar afora? Numa carreira em que a dedicação é 24/7? Em que bem menos de 1/10 da turma de formação chega ao generalato? Onde o privilégio?

      Curtir

      • Herbert Sílvio Augusto Pinho Halbsgut disse:

        Sr. Leai, tentando elucidar a dúvida em sua pergunta penso que o “privilégio” está em participar de uma carreira de Estado com salários que, se não os melhores, pelo menos razoáveis diante do quadro nacional de carestias crônicas e pobreza da grande maioria dos cidadãos. Houve sim períodos de defasagens nos soldos, que mais recentemente foram em parte corrigidos.
        Acrescento a segurança de uma vida espartana cercada de cuidados e acessibilidades a serviços que aos cidadãos comuns ainda faltam em muitas partes do território nacional. São apoiados a crescerem profissionalmente através de cursos diversos no Brasil e no exterior. Servem ao Estado brasileiro nos quatro cantos do planeta em nossas instituições consulares, embaixadas, além de organizações internacionais como para a ONU e outras em missões de paz ou de intermediação de conflitos.
        Enalteço aqui o papel dos militares de fato na assistência às populações de rincões distantes desse nosso país continental, que é obrigação de fazer em situações extremas ou até regulares.

        Há muita confusão conceitual entre o que as pessoas entendem por militar, “milico” e milicianos; os primeiros respondem por sua escolha vocacional e agem sob rígida hierarquia, conforme as Leis militares – nacionais e internacionais – e conforme o balizamento das leis contidas em nossa Constituição Federal, na proteção de nossas instituições de Estado, da ordem interna e da defesa nacional contra inimigos externos, enquanto que milicos são os que agem como se fossem milicianos, agindo a bel prazer de forma autoritária e ofensiva – até por indiferença – ao Estado Democrático de Direito, acabando por ser útil a interesses diversos aos que emanam das instituições democráticas.

        Que bom seria se todos tivéssemos o privilégio de termos salários, ou soldos, que valorizassem nossos esforços profissionais. Lembro ainda que muitos militares, após reformados ou darem baixa no serviço, entram para o mundo empresarial com todo o conhecimento que adquiriram numa vida inteira se dedicando ao serviço militar e a Pátria,por vocação e escolha; progredindo financeiramente de modo honesto.

        Curtir

      • Carmen Leibovici disse:

        O problema não são os militares,o problema é que a estrutura governamental do Brasil em todos os níveis é LADRA.Ela NÃO distribui a renda obtida dos impostos em favor da sociedade; ela ROUBA tudo para dar vida luxuosa à militares e sua descendência; à políticos,ministros e etc para sustentar luxos.
        O Brasil NÃO É um pais normal.É uma excrescência(depois vou olhar no dicionário para ver direito o que é isso mas não é coisa boa!)
        É triste ver um povo bom,que poderia e deveria ter tudo ,ser assaltado por essa elite estatal de araque.
        Isso precisa acabar!Isso é pra lá de uma deformacao.O Brasil é monstruoso!É…Não há adjetivos que definam esse país retardado.

        Curtir

    • Carmen Leibovici disse:

      Bolsonaro presidir o País???
      O país está indo de mal a pior em todos os aspectos com esse incompetente, descontrolado ,destrambelhado e também ignorante, e você ainda acredita que ele é capaz de fazer alguma coisa??
      É inacreditável a capacidade humana de não ver a realidade e se alimentar de ilusões destrutivas!

      Curtir

  • pedromarcelocezarguimares disse:

    Por que acha que pode desrespeitar a vontade popular, o pleito democratico das urnas e o direiro constitucional?
    Quem padece de miopia moral e politica sempre atiram pedras na esperanca de impor a propria verdade.

    Curtir

    • Carmen Leibovici disse:

      Eu votei em Bolsonaro mas a realidade está se mostrando outra de que a prometida,ou por completa incapacidade para o cargo ou por “sequestro”.Ele prometeu moralizar o País,mas o crime organizado continua saudável,a economia continua a ser destruída,a punição para corrupção está com as pernas cortadas,etc etc e etc.Ele não diz uma única palavra contra esse estado de coisas.Ele funciona como um alienado.
      Quem votou nele esperava um país melhor,ou pelo menos melhorando,entretanto o inverso está ocorrendo.

      Curtir

      • rubirodrigues disse:

        Carmen, penso que a tua expectativa de que bastava o Presidente querer que tudo se modificaria, desconsiderou a realidade de um Estado projetado para funcionar como monarquia disfarçada e compadrio. Você não está vendo ele ser caçado 24 horas por dia? Porque você acha que as oligarquias tradicionais o atacam sem parar e com todos os pretextos? Se liga, o homem está enfrentando, de uma só vez, todos os beneficiados dos petrolões, mensalões e cia. que saquearam o Brasil e quer fazê-lo usando apenas as brechas da Constituição que os bandidos não fecharam para se proteger. Você não percebe que estão tentando a todo custo impedir que ele governe? Você quer que ele restabeleça o “governo de coalizão” e acabe com os conflitos?

        Curtir

      • Carmen Leibovici disse:

        Rubi,eu vou começar de trás para a frente.

        Bolsonaro JÁ restabeleceu um governo de ” coalizão” SÓ com o Centrão,que todos sabem a que esta está no Congresso.Já está distribuindo cargos.
        Por que não ele estabeleceu uma coalizão decente com todos os outros partidos?Por que a opção pelo que é mais baixo na política brasileira?

        Não, eu não percebo que estão impedindo ele a todo custo de governar.Não pelo menos a Imprensa que ele acusa.A Folha de São Paulo ,e o Estadão mais discretamente,apontam o que de fato ele está fazendo de errado.Outros jornais sérios de outros estados estão fazendo o mesmo.Qual é o problema?Pessoas bem intencionadas apenas rebatem aquilo com que não concordam até judicialmente quando o caso.Bolsonaro ataca ferozmente apenas pela bocona grossa dele e pela orientação midiática de seu filho esquisitao ,03, e não responde ao que dele está querendo se saber.

        Não,eu não acho que o homem está enfrentando, de uma só vez, todos os beneficiados dos petrolões, mensalões e cia. que saquearam o Brasil e quer fazê-lo usando apenas as brechas da Constituição que os bandidos não fecharam para se proteger.
        Não li uma notícia sequer sair a respeito disso.Depois da campanha eleitoral ele parou totalmente de bater nos ” comunistas” brasileiros,nos ladrões etc e tal e andou inclusive bajulando os comunistas chineses.
        O tipo do mensalão que parece que seus filhos faziam,esse ele esta flagrantemente tentando encobrir.

        Não vi até agora nenhuma oligarquia tradicional ataca-lo.
        Cadê Sarney atacando ele? Rosana sua filha?Elder Barbalho?Collor?FHC?Quem mais? Pelo contrário,está tudo caladinho só esperando pelo revezamento..

        Eu não vi até agora nem um indício de que Bolso esteja querendo modificar a realidade de um Estado projetado para funcionar como monarquia disfarçada e compadrio.Ele está repetindo o modus operandi para essa perpetuação.

        Tudo foi blá blá blá de campanha.Ainda não caiu a sua ficha,Rubi?

        Curtir

      • Carmen Leibovici disse:

        Tem mais ,Rubi.Ele jurou abrir a caixa preta do BNDES.Que eu saiba,até abriram alguma mas deram um jeito de enrolar a coisa.Cade o dinheiro que foi pra Venezuela,Cuba,Bolívia?
        Nunca mais ouvi nenhum ultraje pelos fatos saído da boca de Bolso depois da eleições ,ficou tudo certo depois disso?

        Curtir

      • Carmen Leibovici disse:

        Rubi,nem Lula,cujo nome não gosto de pronunciar,nem ele está abrindo o bico contra Bolso.Por quê será?
        Eles todos,TODOS! ,se protegem para proteger sua galinha dos ovos de ouro-o pobre Brasil.
        Isso não existe em nenhum lugar do mundo!Brasil tem exclusividade nessa M*** contaminada!

        Curtir

      • Carmen Leibovici disse:

        Rubi,”as brechas da Constituição que os bandidos não fecharam para se proteger”,essas Bolso também não está tentando fechar.
        Nunca ouvi ou li ele falar sobre esse assunto.
        Aliás,ele não fala sobre assunto nenhum-só berra feito um doido.

        Curtir

      • Herbert Sílvio Augusto Pinho Halbsgut disse:

        É dona Carmen, o Centrão descobriu que o negócio bom agora é substituir a tradicional indústria da seca pela hodierna indústria do combate ao coronavírus, e já tem deputado querendo propor que a merreca de R$600,00 se torne permanente para os estados do nordeste quando a crise da covid-19 se for – muitíssimo otimistas, quanta misericórdia…- e isso tudo bem mostra para o que vieram no contexto político atual. É tudo o que os brasileiros não precisam: continuar nesta cilada do toma lá, dá cá !

        Curtir

      • marina alves dos santos disse:

        Eu também votei em Bolsonaro principalmente pelo anti petismo. Mas logo vi que era uma fraude e que acima de tudo estão seus filhos aloprados e o Brasil que se dane. Se ele for apeado sinto-me aliviada.

        Curtir

  • Carmen Leibovici disse:

    Rubi,nem Lula,cujo nome não gosto de pronunciar,nem ele está abrindo o bico contra Bolso.Por quê será?
    Eles todos,TODOS! ,se protegem para proteger sua galinha dos ovos de ouro-o pobre Brasil.
    Isso não existe em nenhum lugar do mundo!Brasil tem exclusividade nessa M*** contaminada!

    Curtir

  • Vigiai e orai, colegas patriotas Olavo Leal, Natalin e Rubirodrigues e vespas verde-amarelas!!!! Afinal: O preço da liberdade é a eterna vigilância.

    Curtir

    • Olavo Leal disse:

      Concordo, Pedro.
      Estou vendo que é muito menos difícil conviver com os vermelhinhos do que com os isentões.
      Poucos conseguem entender o quanto ele tem sofrido para tentar cumprir aquilo a que se propôs durante a campanha.
      Alguém já disse que Bolsonaro está se tornando um ser próximo da divindade: não há uma única folha seca que caia de uma árvore, neste País, sem que o responsável / culpado seja… ele mesmo, Bolsonaro.

      Curtir

    • natalin disse:

      acredito no que percebo na maioria da população (classe média pra baixo), quase 90% apoiam o Bolsonaro e o projeto conservador e de direita. E vamos ganhar as próximas eleições. o sistema não tem candidato e a última tentativa , o moro – judas e traidor – já nasceu morto.

      Curtir

  • Olavo Leal disse:

    Sr Herbert (Ref. seu comentário de 13 Maio – 13:30hs).
    (Já tive oportunidade de explicar anteriormente aqui neste espaço.)
    Os militares, desde o fim da Guerra do Paraguai, criaram um sistema denominado Montepio dos Militares, mantido por seus soldos, sem interferência governamental ou qq outra externa. Daí, uma série de “privilégios” que eles mantiveram ao longo de mais de século, mantidos por seus soldos – repito, seus soldos -, para compensar a dedicação 24 / 7, as transferências inopinadas, os serviços de 24 hs seguidos de expediente normal, etc etc etc.
    Após JK (50 anos em 5, inclusive com a construção de Brasília), o governo federal não tinha como começar a pagar os encargos decorrentes dos empréstimos captados e botou o olho grande no tal Montepio.
    Resultado: Militares! Sejam patriotas (mais uma vez) e passem ao Tesouro a fortuna de seu Montepio, que nós – governo, Estado, União, seja lá a coisa incompetente que for – garantiremos as condições em vigor, via Previdência, orçamento federal ou o que for. Aquilo deu no que hoje é chamado de privilégio etc etc etc – muitos já extintos.
    Quanto ao que o Sr escreve sobre os privilégios como aditâncias etc, isso se dá em final de carreira, após o militar passar pelos escalões mais baixos. E, antes disso, há de passar num concurso para o qual concorrem cerca de 1000 candidatos por vaga, tanto para oficial como para sargentos.
    Finalmente, lembro-me de uma entrevista do ex-comandante do Exército, Gen Villas Bôas, na qual ele apresentou a seguinte situação: no posto máximo atingido por um oficial, em carreira normal (coronel), este recebe acima apenas do que o salário inicial de duas carreiras do Executivo. Privilegiatura?

    Curtir

    • Herbert Sílvio Augusto Pinho Halbsgut disse:

      Sr.Olavo, quer que eu engula esta realidade tragicômica de um ex-presidente que gastou o que podia para construir a tão sonhada capital Brasília oferecendo uma troca, a meu ver indecente, aos militares, ou seja como o senhor colocou, vocês me passem cá o dinheirinho do seu Montepio e eu os coloco na grande teta da Previdência com garantias e aconteça o que acontecer terão garantidos os seus direitos… É de pasmar que em nome de um patriotismo – explicação sua – os militares docilmente passaram seu Montepio dos Militares para as mãos do ex-presidente da República Federativa do Brasil Jucelino Kubitschek ! É tudo tão estranhozinho ver que os militares caíram, ou entraram, nessa fria de lascar sem ter algo de sólido nas mãos quanto a seu futuro previdenciário num país já endividado e acreditando no plano de metas do governo JK, que até deu bons resultados. O sistema criado ao final da Guerra entre o Paraguai e o Brasil foi também consequência das necessidades de se amparar as viúvas e filhos dos militares mortos em combate, muitas delas tendo que ser empregadas no serviço público do Império. Hoje ainda temos muitas filhas solteiras de militares amparadas com pensões vitalícias – desde que permaneçam nessa condição civil – deixadas pelos pais, assim como ocorre também com as filhas de servidores em outras carreiras de Estado, tudo certamente amparado em leis votadas no Congresso Nacional.
      E pensar que só recentemente se criou a carteira independente dos servidores públicos, que a ela passaram então a contribuir, mas que ainda não criou uma masa crítica de capital para pagar as previdências das dezenas de milhares de funcionários públicos que se aposentaram recentemente de vido a nova lei das aposentadorias. E mais, funcionários públicos não pagavam INSS – só passaram a fazê-lo recentemente para sua carteira -, tinham aumento antes de se aposentar, continuam na inatividade a receber aumentados como os da ativa… e como quer o senhor que eu chame a isso? Cesta de bondade, regalo por merecimento aos mais cidadãos que os outros.
      Convenhamos, o Brasil ainda é um País indecorosamente surrealista. O sistema eleitoral de voto distrital direto com retomada de poder dos políticos corruptos e incapazes, com refernduns e inciativas do povo de propor leis, será uma saída para toda essa degeneração da estrutura estatal acumulada desde o descobrimento do Brasil.
      Estou enganado?

      Curtir

      • Olavo Leal disse:

        Sr Herbert:
        Creia ou não, foi assim que as coisas ocorreram. Certo, não foi apenas o Montepio dos Militares, mas tb os dos Bancários (IAPB), dos Comerciários (IAPC), dos Industriários (IAPI), dos Tecnólogos (IAPTec) e talvez alguns outros, dos quais não me lembro no momento.
        Mas o mais abastado era seguramente o dos militares, justamente para lhes assegurar a continuidade dos vencimentos ao passarem para a reserva. Todos os direitos eram fruto do recolhimento das contribuições de cada militar na ativa e tb na reserva, reformado ou pensionista.
        Abs

        Curtir

    • Carmen Leibovici disse:

      Olavo,o governo federal não lesou apenas os militares naqueles tempos,lesou o país todo em nome de pagar suas dívidas.
      Lembro-me da campanha” Ouro para o bem do Brasil”onde se solicitou ouro de toda a população.Lembro do meu pai me lavando a um posto de entrega para doar um anelzinho lindo que eu tinha.Meu pai era patriota e me ensinou a se-lo através de atitudes como essa.
      Só que depois nunca se soube que fim deu aquele ouro todo.
      Vocês militares estão sendo ressarcidos através desses privilégios que recebem.E nós?Cade o nosso ressarcimento pelos mal feitos dos governantes brasileiros?
      Muitos de nós também trabalham 24/7 para ganhar nosso sustento.Por que vocês recebem tanto do governo e nós não?

      Curtir

      • Carmen Leibovici disse:

        levando

        Curtir

      • Herbert Sílvio Augusto Pinho Halbsgut disse:

        Dona Carmem, sou criado à moda antiga e por isso me sinto mais a vontade chamando-a por “Dona”. Bem lembrado sobre a doação de ouro e fui também com meus pais num endereço aqui em Rio Claro-SP situado na Avenida 1 esquina com a Rua 5, local conhecido mais tarde como a Esquina do Veneno – uma cafeteria popular – já não existe mais – onde as novidades e fofocas eram comentadas – e lá estavam soldados do Tiro de Guerra ( do Exército Brasileiro) local e outras autoridades, juntamente com uma balança com a qual pesavam a doação em ouro onde em seguida meus pais e todos os demais doadores depositavam numa urna lacrada de tambor de metal verde escuro e em seguida, assinaram um livro de controle e receberam cada qual um anel de cobre-latonado dourado com emenda soldada, hoje já escuras pela oxidação, que ainda as guardo com muito carinho cívico . Nelas estava escrito: DEI OURO PARA O BEM DO BRASIL.
        Será que esses livros estão guardados no Arquivo Nacional juntamente com um relatório sobre os montantes arrecadados? Quantas toneladas? E principalmente como foi utilizado todo esse ouro doado pelo povo para benefício do povo e do Estado brasileiro? Onde poderemos ter acesso a esses controles?
        A senhora acima citou a questão da caixa ( de Pandora) preta do BNDS e acrescento que também aguardamos a investigaçaõ sobre eventual caixa preta das LOTERIAS – se o Monsier “Bidet” (Que Rei sou eu, lembra-se?) permitir. Existe isso de fato?
        Como podemos perceber, hoje estou um cidadão muito “mal educado”, “deselegante”, perguntando demais… aproveitando o fato de nossa imprensa ainda poder trabalhar com liberdade, apesar de muitos de seus profissionais receberem ameaças veladas ou não.

        Curtir

      • Carmen Leibovici disse:

        Pois e ,Herbert,o governo da época deve ter recebido MUITO ouro pois todos éramos crédulos e doavamos de boa fé.
        Isso foi campanha do governo militar ,não?

        Curtir

      • Carmen Leibovici disse:

        Eu também queria saber aonde foi parar aquela dinheirama tremenda

        Curtir

      • Carmen Leibovici disse:

        Herbert,eram sim os militares no poder que promoveram esse assalto aos brasileiros.
        Os militares foram um governo muito corrupto.Me lembro de histórias de que eles cobravam “pedágio”para tudo.
        Espero que um dia tudo se esclareça.
        Eis um artigo antigo do Estadão que encontrei.
        A história do Brasil é nojenta de cabo a rabo,inclusive no que se refere aos militares ,sempre tão cheios de ( falso)” brio”

        https://www.google.com.br/amp/s/sao-paulo.estadao.com.br/blogs/geraldo-nunes/os-50-anos-da-campanha-ouro-para-o-bem-do-brasil/%3famp

        Curtir

      • Olavo Leal disse:

        Qual categoria trabalha ou dedica-se 24/7, exceto os PMs, BMs, FFAA e assemelhados? Sem banco de horas, claro.

        Curtir

      • A. disse:

        Sr. Olavo: até onde eu sei, a profissão é uma escolha e não uma imposição…

        Curtir

      • Herbert Sílvio Augusto Pinho Halbsgut disse:

        Dona Carmem , agradeço-lhe a indicação e li a pouco, entre um afazer doméstico e outro, o texto de Geraldo Nunes no jornal Estado sobre os 50 anos da campanha “Doe Ouro Para o bem Do Brasil” movida pelo “Chatô” – Francisco de Assis Chatobriand de Mello – dos Diários Associados e gostei muito da matéria, que descreveu bem aquela fancaria toda e da qual ninguém foi chamado às falas para explicar. O que restou do “Ouro Para o Bem do Brasil” acabou transformado em um edifício! Obscurantismo total! Fez-me lembrar dos fundos eleitoral e partidário atuais.

        Curtir

  • Olavo Leal disse:

    Caro A.:
    “até onde eu sei, a profissão é uma escolha e não uma imposição…”
    Poucas vezes, neste espaço, tanta verdade foi resumida em tão poucas palavras. Brilhante!
    Cada qual escolhe sua profissão e responde por sua escolha pelo resto da vida. Para uns, a escolha é facilmente correspondida; o objetivo é facilmente atingido. Para outros, tal escolha exige uma luta constante.
    E cada profissão dá a quem a escolhe o retorno correspondente.
    Por isso mesmo, acho que deve-se medir palavras antes de apontar uma ou outra profissão como privilegiatura etc.

    Curtido por 1 pessoa

    • A. disse:

      Sr. Olavo: não é a profissão que é apontada como privilegiatura. É a remuneração e os privilégios que se dão a ela! Iniciativa privada não tem licença prêmio, 14º salário, progressão funcional, quinquênios, seguro médico, auxílio-paletó e um infindável ETC.
      Abraço! (c/ o cotovelo…)

      Curtir

      • Olavo Leal disse:

        Caro A.: qual(is) destes privilégios são inerentes aos militares?
        Já afirmei anteriormente – palavras do ex-comandante do Exército, Gen Villas Bôas – que o salário de um coronel só é maior que o salário inicial de duas carreiras do funcionalismo. No extremo inicial, um recruta recebe um SM.
        14.o salário? Militares passaram a receber o 13.o com Sarney.
        Progressão funcional decorre da profissão ser fechada em si mesma, na maioria das vezes mediante concursos internos.
        Quinquênios? Já caiu há tempos.
        Todo atendimento de saúde é pago mediante um fundo no qual todos depositam % mensal, mais um percentual referente ao atendimento recebido (consulta, exames, etc). O pagamento é devido até a morte do militar e da pensionista, tal qual a pensão militar.
        Auxílio-paletó para militares?????????
        Por que Vcs não atacam outras “privilegiaturas”? Exemplos: 1) advogados que recebem fortunas para defender criminosos com dinheiro oriundo de recursos públicos desviados; 2) jornalistas que desfilam mentiras notórias, recebendo fortunas sem ter de denunciar suas “fontes”. Etc, Etc.

        Curtir

      • A. disse:

        Sr. Olavo:
        O papo já está ficando longo e vai se perdendo na sua extensão. O sr., como corporativista, defende sua classe. Normal. Mas vestiu uma carapuça que não lhe foi endereçada portanto não precisava de defesa. A crítica é feita de forma generalizada a uma parte significativa do funcionalismo, que MAMA desbragadamente nas tetas públicas. Não me dirigi especificamente à sua classe, da qual desconheço totalmente os detalhes. Então não posso falar do que não sei. Os vícios que apontei são de sobejo conhecimento público. Não sou tão ignorante assim e nem escolhi os militares como alvo…
        Abraço!

        Curtir

      • A. disse:

        =(alongando além do necessário)=
        Prof. Villa declarou (e estou citando porque concordo) que desde a promulgação da constituição de 88 os militares, EXEMPLARMENTE, se mantiveram no estrito cumprimento de suas funções institucionais. Desgraçadamente voltaram a se imiscuir na vida política (não cabe aqui discutir os motivos, se legítimos ou não). Só por essa evidência o sr. se sentiu atacado por críticas feitas à “privilegiatura”. Estivessem os militares no seu canto e isso não teria acontecido.
        Os militares deveriam se revolver apenas na lama das batalhas. Resolveram se revolver na lama da política… E essa fede!!!
        Outro abraço!

        Curtir

      • Olavo Leal disse:

        Caro A.:
        Cerrrrrrto!
        Abs

        Curtir

      • Herbert Sílvio Augusto Pinho Halbsgut disse:

        Senhores, a lama dos campos de batalha fedem sim, e muito, quando não há condições de se recolher a tempo os cadáveres de militares, civis e animais que em pouco tempo começam a apodrecer. Meu avô que lutou nas trincheiras da Primeira Guerra Mundial me respondeu quando eu era jovem que somente com uma trégua os lados combatentes podiam recolher seus cadáveres, enquanto isso o odor se tronava insuportável. Lama é lama e na política só podemos removê-la ou impedi-la através de forma de governo que se institua via sistema de voto distrital puro com retomada de poder dos incompetentes que invadem as nossas – do povo – instituições públicas.
        Quando é que o Congresso Nacional, por iniciativa própria, ensejará uma consulta aos eleitores para saber se desejam o sistema de voto distrital puro e suas vantagens?

        Curtir

  • flm disse:

    Perfeito…

    Curtir

  • rubirodrigues disse:

    Ou conhecemos as leis da natureza e fazemos as escolhas mais promissoras ou vamos de tentativas e erros dando trombadas e, as vezes, aprendendo.

    Curtir

  • Herbert Sílvio Augusto Pinho Halbsgut disse:

    Militares tem o seu direito constitucional em participar na vida civil, a candidatar-se a cargos públicos e, sendo eleitos, desenvolverem seu trabalho juntamente com civis, trocando experiências, tanto no poder executivo como no legislativo, usando terno e gravata; outros são nomeados para comporem os quadros de confiança do presidente da República e dos governadores dos estados da federação, agora como militares por formação, usando a farda ou terno e gravata.
    É muito bom quando sabem discernir, no dia-a-dia, a diferença entre a situação militar e a civil, o mesmo podendo se aplicar a candidatos que venham das polícias militares e guardas municipais, que hoje compõem os quadros de muitas de nossas câmaras municipais e assembleias legislativas.
    Entretanto o que deveria ser um enriquecimento nas atividades desses militares, ocupando postos civis, pode se tornar uma afronta à sociedade em geral quando começam a tomar atitudes rompantes sobre os demais com olhares de “sabe com quem está falando?” e aqui entra o papel do Judiciário colocando os pingos nos “is”, caso contrário a Constituição Federal é desrespeitada e o terrorismo de estado pode ganhar terreno facilmente.
    A propósito, se militar é eleito para função pública, acumula soldos com proventos?

    Curtir

  • pedromarcelocezarguimares disse:

    Esse “sabe com quem ta falando?” Poderia ser extensivo aos Toffolis, Lewandowisk, Moraes e outros prototipos de ditadores que habitam o Estado de propriedade das castas privilegiadas custeadas pelos escravos do Brasil.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Bolsonarizamo-nos! no VESPEIRO.

Meta

%d blogueiros gostam disto: