Um cheirinho de golpe no ar

25 de junho de 2013 § 10 Comentários

5

3

Péra um pouquinho…

Contra essa política que aí está, sim!

Contra a política de modo geral, não!

Não vamos confundir o sentido dessas manifestações porque se todos os micos que estamos pagando e que os cartazes todos traduzem são consequência de falta de democracia, não é com menos democracia que vamos resolvê-los.

A tal “democracia” brasileira, que mal merece esse nome mesmo entre aspas, é falsificada nos seus elementos fundamentais.

Primeiro, cada homem não vale um voto. Tem eleitor que vale 10, 20 e mais vezes que outro eleitor, conforme o lugar em que more. O Congresso, portanto, não representa o Brasil como ele é, representa a correlação de forças que prevalece no momento entre os velhos caciques que controlam as porteiras dos velhos partidos.

15

Nesse universo particular, o gado de quem tem mais força vale mais voto, independentemente de não tirar essa força da única fonte aceitável de legitimação do poder, que é a soma de um por um dos brasileiros das ruas, estejam onde estiverem, mas sim do maior ou menor sucesso que esse cacique obteve ao longo do tempo na manipulação das alavancas da corrupção.

Segundo, não ha meio de se identificar, depois de eleito, que representante representa que representado, porque todo candidato pode colher voto onde estiver mais barato comprá-los e não num determinado distrito ou junto a um determinado grupo identificável de brasileiros de modo que, quando ele votar lá no Congresso, a gente possa saber se ele está votando contra ou a favor dos interesses de quem o elegeu.

13

Sim, tá tudo errado. Mas pelo menos quem está lá foi eleito em pleitos nos quais todos os brasileiros foram convocados a votar segundo uma regra pré-estabelecida e válida para todos, ainda que seja uma regra torta, e com fiscalização aceitável contra fraudes eleitorais.

Agora vêm dona Dilma, dona Ideli e cia. ltda. nos dizer que o remédio pra falta de transparência do nosso sistema de representação é passar por cima até dessa eleição torta e enfiar no povo “projetos de reformas” formulados por gente que não foi eleita por ninguém mas se auto-intitula “representante da sociedade civil”, auto-eleição esta que é chancelada ou não pela magnânima disposição do PT de aceitá-los como “movimentos sociais” e chamá-los a sentar-se à “mesa de discussão” com a senhora “presidenta”?!

Alto lá!

Isso se chama golpe!

17

É aquele expediente primitivo do Chávez e seus bolivarianos amestrados de chamar todo mundo de idiota e jogar uma milícia armada em cima de quem ousar não aceitar a ofensa.

Aqui falta a milícia armada. Ainda…

Como tantos outros golpes contra os direitos humanos, a liberdade de expressão e o mais que sabemos desde sempre, este dessa “democracia direta” falsificada (porque há uma autêntica de que falarei num próximo artigo) é mais um dos que constam da “lista oficial de desejos do PT” que é aquela batizada de Plano Nacional de (extinção dos) Direitos Humanos, o PNDH que eles tentaram nos enfiar goela abaixo lá atrás e não conseguiram.

É como a história do controle da mídia e do desmonte do Judiciário e do Ministério Público. Pele de pica, se me perdoam a expressão chula mas precisa. Deu mole, estica pra frente. Não deu, volta pra traz. O PT acredita piamente naquela história da água mole em pedra dura, tanto bate até que fura…

21

Não é atoa que, antes mesmo da conversa começar dona Ideli já tinha pronta, no forno, essa “reforma política” que só fala de financiamento de campanha, ou seja, dos meios e modos de enfraquecer quem venha querer “corocá” contra quem já “corocô”, mas não toca no principal que é tornar o representante identificável e facilmente demissível em caso de traição ao representado, coisa que se faz com os consagradíssimos institutos do voto distrital e do “recall” ou retirada do mandato de representação.

De modo que ficamos com esse abacaxi pra descascar.

O par de fotos da capa do Estadão de hoje é uma síntese perfeita do dilema: ou aquela mesa com os proverbiais 40 … ministros que não estão lá exatamente pra mudar as coisas, ou aquela outra mesa com aqueles moleques que o PT escolheu, agindo sob a regência das mãozinhas de dona Dilma.

É a alternativa desesperantemente perfeita pra fazer a gente baixar a guarda e aceitar gato por lebre. Todo cuidado é pouco.

Também as manifestações têm oferecido uma simbologia perfeita da ameaça que esse dilema encerra.

16

Ha nelas uma maioria esmagadora que vai às ruas à luz do dia e de cara limpa e mostra por escrito aquilo que está pedindo. Não vi nenhum deles carregando mensagens golpistas. Mesmo de impeachment quase não se fala porque também esse filme nós já vimos e não é isso que a situação pede.

E há os que só vão à rua mascarados e preferencialmente à noite. Bobo seguindo moda e psicopata tem pra todo gosto. Mas também tem os que sabem porque escolhem sua máscara.

Tem mascarado refinado, com aquela cara branca e cínica do “Anonimous” que, ou são os blogueiros e hackers chapa branca (ou chapa vermelha) que o PT paga para promover linchamentos via internet e apagar na marra o computador de quem pensa diferente deles, ou são os anarquistas da rede que acham que vão criar um mundo novo armando e acobertando mega piratas que ficam bilionários surfado a onda deles pra tocar fogo na propriedade alheia até que não sobre pedra sobre pedra.

8

Tem mascarado menos refinado, que enrola a camiseta no rosto pra poder quebrar, pra poder roubar ou pra poder fazer as maquinações do jogo sujo do poder, como aquelas que o agente do Lula dentro do governo Dilma, Gilberto Carvalho, foi flagrado fazendo com os bate-paus do seu próprio gabinete que foram promover quebra-quebras em portas de estádios ou em portas de palácios.

Bandido, um puxando o tapete do outro, enfim.

Mas para nós, os sem máscaras, o que interessa é que todos os mascarados, num ponto, se equivalem.

Eles querem menos democracia. Nós queremos mais. Eles querem revogar a política. Nós estamos só chutando a bunda dela pra que ela acorde e passe a funcionar.

20

Marcado:, , , , , , , , , , , , , , ,

§ 10 Respostas para Um cheirinho de golpe no ar

  • Luiz Barros disse:

    Há tempos assinalei que Dilma é uma mulher frágil e triste, que sublima sua solidão de forma bruta, andando aos supetões e falando com arrancadas e paradas, ancorando-se no pendor autoritário.

    Em vários dos retratos da presidente nestes dias percebe-se o semblante de uma pessoa profundamente decepcionada, surpreendida, sem ação, triste de perceber-se afinal fraca como ela de fato é.

    Fica estampada a sua incapacidade para lidar com os acontecimentos.

    E este, dentre todos, é o maior risco quando se pensa no caráter golpista que pode vir a se desenhar no cenário atual: a “presidenta” é uma marionete cada vez mais frágil.

    Quantas e quais mãos a manipulam agora? – sabendo-se que os mais espertos não hesitarão em deixá-la cair no abismo se isto lhes for favorável nos cálculos.

    Curtir

  • Fre disse:

    Nossa La Pasionaria, autodenominada “líder do Movimento Passe Livre” (MPL), que se abriga sob o codinome de “estudante de Direito Nina Cappelo”, agora quer tudo, no que faz muito bem.

    Um segundo após as fragorosas derrotas das administrações de todos os partidos em estados e cidades — Alckmin , PSDB, e Haddad, PT, São Paulo; Sergio Malandro e Eduardo Paes, PMDB, Rio; Jaques Wagner, PT, Bahia, entre os mais ricos e poderosos, além de Lula, Dilma e o marqueteiro João Santana, que vieram a São Paulo para “blindar” Haddad, a nossa Pasionaria aproveitou-se de que os grandões estavam de joelhos e deu a nova “palavra de ordem”:

    “Agora serão as reformas Agrária, Urbana e Econômica, Tarifa Zero nos transportes públicos, Educação, Saúde e Segurança de qualidade”.

    A menina (moça, senhora ? não sei, não a vi nem no “Roda Viva” da tv Cultura) agora quer tudo ; se mais exigiu, esqueci; desculpe, mas concordo com tudo. Quem não concordaria com programas tão sonhados por todos nós, um Estado de Bem – Estar Social que fale português e não sueco ?

    Não falou, não mencionou uma única vírgula sequer sobre a peste que assola o país de alto a baixo, de norte a sul, de leste a oeste, instalada desde 2 de Janeiro de 2013, quando Lula sentou na cadeirona no andar de baixo e Dirceu ocupou o andar de cima, com suas tropas – piratas: a pandemia da Corrupção ativa e passiva, só curável com internação sem sursis na cadeia.

    Não falou porque esqueceu ou não quis. Aí, comecei a ficar meio assim, mas sou crédulo, continuei acreditando. Esses neoliberais que vivem no conforto do ar condicionado dos seus escritórios e carros de luxo e que ameaçam o povão de que “There´s no free lunch”, em inglês que o povão entende, “ não há almoço grátis”, traduzo, vão ver só a cor do breu.

    Viver de graça, por conta de quem paga impostos é o sonho de cada um de nós (é o meu e confesso). No entanto, quem sobrará para pagar os impostos (que os suécos pagam) para nos sustentar ?

    Ou far-se-ia (de farsa, farsesco) como acusavam o PSDB de fazer, se tivessem tido o muque que as hostes da Pasionaria acreditam que têm de sobra: vender a Petrobras, a Vale outra vez, Banco do Brasil, Nossa Caixa (“Nossa” uma pinoia, deles).

    Aí, sim, daria pra tropa viver com a Bolsa Vagabundagem, em permanente aposentadoria por uns tempos, mas diz a Vox Populi Vox Dei “não há Bem que sempre dure.”

    Apoio sem restrições a palavra de ordem, antiga, do meu tempo, válida até hoje: “O povo unido jamais será vencido”. Brasil 3 x Japão 0, Brasil 2 x México 0, Neymar o Sublime, escrete A Pátria de Chuteiras, não há povo mais unido do que o nosso, to contigo Brasil e não abro, to contigo Pasionaria e não abro: “Educação e Saúde padrão Fifa”

    “Vem pra rua, a maior arquibancada do Brasil”; o “Caminhando e Cantando” do Vandré foi trocado pelo jingle da Fiat. Vandré propunha luta, um tremendo pé no saco; a Fiat propõe o povo na rua pra cabular o trabalho, a escola, festejar e vagabundear, to com a Fiat e também não abro.

    “Palavra de ordem” é minha referência saudosista do velho Partidão (Partido Comunista Brasileiro, PCB) que, embora stalinista, teve juízo suficiente para recusar a luta armada como forma de combate à ditadura.

    O Partidão achava, com razão, que antes era preciso soltar o monstro, ganhar a opinião pública. Parece até citação do JK. Num momento de crise braba, JK disse mansamente, como sempre o fez: “Soltaram o Monstro”. Seus amigos perguntaram: “Qual Monstro ?” E JK: “A Opinião Pública”. Hoje o monstro está solto nas ruas, parece que ninguém o segura.

    Aí deu-se o racha que pariu o PC do B, que tem como um dos seus luminares o mensaleiro condenado e sentenciado pelo STF por corrupção ativa e formação de quadrilha, Genoino.

    O Partidão nos deu Jacob Gorender, intelectual marxista-leninista, isso era o máximo no tempo dele,tradutor, ideólogo, historiador e escritor, falecido há pouco , respeitado por todas as correntes intelectuais e políticas. Tremenda diferença do pensamento e da ação “esquerdista”.

    Alckmin, Haddad entregaram a rapadura, cortaram os 20 centavos de aumento nos transportes públicos e a Pasionaria levantou sua vassoura de bruxinha, proclamando vitória.

    Sei que fiquei 8 reais mais rico por mês, umas 3 cervejas em pé no boteco. Mas os meus dois neurônios, um apagou de cansaço pela participação nas passeatas, ficaram sem entender algumas coisas.

    A meia dúzia de passeatas terroristas, saqueadoras, assustadoras, interrompidas pelo 17 de Junho, que sonhei ser o novo 7 de Setembro, futuro feriado nacional, nossa guerra em paz, o desabafo da voz rouca das ruas, São Paulo inteira transformando suas ruas, avenidas e praças em Praças Tahir.

    Zé Dirceu discursou “É preciso ouvir a voz das ruas”. As ruas responderam na lata “Zé Dirceu para de enganar, a cadeia é o seu lugar”, E a palavra de ordem mais realista pragmática que vi, tapa nas caras de pau que todos sabemos quais são: “Saúde e Educação Padrão Fifa”.

    Quais olhos não marejam, qual coração não explode, quem não quer ir para as ruas para estar com a meninada e reaprender esperança e otimismo. Os cabelos brancos, PhDs em passeatas e protestos ruidosos, rejuvenescem.

    No fim do túnel tem um protesto; no fim do túnel tem uma passeata. (Tem ?)

    Ouvi aqui e ali “Contra tudo isso que está aí”, que me fizeram reviver apavorado o começo de uma era pra mim de terror, de corrupção e sem-vergonhice, ainda atuando e em pleno comando.

    Vi depois de 17 de Junho mais destruição, mais terrorismo, mais vandalismo, mais incêndios, mais persuasão pelo medo, com a máxima mais mínima que registro: “Não se fazem omeletes sem quebrar os ovos”. Podem estar quebrando ovos demais. Ou estão quebrando os ovos da serpente e disso sou a favor.

    Cai fora PT e leva a Dilma com você.

    Curtir

  • Cecilia Thompson disse:

    Como sempre, tem toda razão!     CECILIA THOMPSON                        jornalista/tradutora*                        Telefone (5511) 5572-1371                        E-mail: cecithompson@uol.con.br                                      

    Curtir

  • Varlice disse:

    Haja bunda, haja chute.

    Curtir

  • estou ate agora atonito com a atitude de nossos jovens contra asucia de canalhas que hoje nos governam e nao tem o minimo pudor de nos pre. sentear com tantas mazelas e toda sorte de vilipendios,somos um povo de boa indole pois caso nao fosse-mos ja ha muito teriamos uma revolta civil armada a exemplo de outros paises em que seus dirigentes nao cometem um decimo da canalhioce que sofremos,mas estou satisfeito porque isto e so o começo e logo estes lesa-patria estaram fora de nossa representaçao E mais uma vez vou frizar que se as intentonas destes canalhas tivessem tido exito no tempo dos militares ,nos teriuamos nao os vinte anos de ¨ditadura, mas vinte anos a mais de anarquia e roubalheira ,esta que hora apreciamos dolorosamente. salve a nossa juventude conciente que esta amostrar a esta quadrilha que nao vendemos o nosso pais ,mas que doravante vamos engrossar fileiras e lutar pelo que e justo e merecido. VIVA NOSSO BRASIL!!!!!!

    Curtir

  • Varlice disse:

    Fernão, você sabe me dizer se isso procede?
    Procurei algum site oficial que desse a notícia e não tive sorte.

    http://noticias.terra.com.br/brasil/politica/palestinos-inauguram-centro-medico-construido-com-doacao-do-brasil,3d64ece0aef6e310VgnVCM10000098cceb0aRCRD.html

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Um cheirinho de golpe no ar no VESPEIRO.

Meta

%d blogueiros gostam disto: