O legado de Janot

5 de setembro de 2017 § 36 Comentários

Artigo para O Estado de S. Paulo de 5/9/2017

A Odebrecht roubava pela via tradicional do superfaturamento de obra pública. Já a JBS assaltava direto o Tesouro Nacional, via BNDES. Não precisava de gazua. Era uma “marca fantasia” dos guardiões das chaves. Simplesmente entrava e servia-se.

Se a delação de Marcelo Odebrecht e seus 77 asseclas construida num trabalho de anos fez sumir de cena a “narrativa” do costume e varejou de rombos o casco do lulismo com os seus modestos 415 políticos “ajudados”, é de se imaginar o estrago que poderiam fazer as dos 2ésleys até a eleição que decidirá se a democracia no Brasil vai ou não tornar-se “excessiva” como a da Venezuela se tivessem tido, de Brasília, os mesmos incentivos para contar tudo que ele teve de Curitiba.

Não pelos 1820 desencaixes que confessam ter feito para 4,3 xs mais políticos que a Odebrecht, como era de lei. Pela saga épica, mesmo, da nata do banditismo petista infiltrada no comando dos fundos de pensão e dos bancos públicos alistando a escória planetária do crime organizado em estados nacionais – Venezuela, Cuba, a Argentina kirshnerista, Angola, Guiné Bissau, e por aí – para montar, a partir de um modesto matadouro de Anápolis, sob a batuta de um Foro de São Paulo voando nas asas do estado brasileiro, uma lavanderia global de dinheiro roubado abarcando 30 países. Como foi, bilhão por bilhão, que o PT fez da Petros, entregue à “gestão” de um fundador da CUT, sócia dos carniceiros de Goiás. O que mais, além do casal Santana, exportou de cleptotecnologia proprietária para párias da civilização e aprendizes de genocida para ter o conforto de superfaturar em dólar longe dos controles brasileiros e, ora com, ora sem o concurso da Previ, do Funcef, do Postalis, do Itamaraty e sabe-se lá do que mais, mas sempre com o dessa gente boa, ir comprando a “competência” com que os 2ésleys esmagaram um a um os seus concorrentes nacionais e internacionais até toda a jogada ser “branqueada” pelo BNDES e os maiores laranjas de todos os tempos ficarem sozinhos na arena global com mais de R$ 180 bi no caixa por ano. E tudo para, como foi minuciosamente mapeado na sentença do Mensalão e eles repetem de viva voz todos os dias, ressuscitar dos mortos, agora marrom, o totalitarismo que foi vermelho no século 20.

O resultado prático da cruzada de Rodrigo Janot e Luis Edson Fachin, aquele que subiu ao STF pelos palanques dos comícios do MST para Dilma em que discursava cheio de paixão e acaba de avalizar a “isenção” do companheiro, foi privar o mundo de conhecer essa odisséia, o que, incidentalmente, livra Lula das manchetes todas que ela poderia render até outubro de 2018. Quinze anos de Lula por 15 minutos de Temer e lá se vão, em velocidade recorde, os 2ésleys, com seus iates, aviões, bagagens e arquivos, para o mundo dos muito muito ricos, liquidando a toque de caixa suas operações na América Latina enquanto o Brasil, à beira do colapso, discute firulas à espera do momento de decidir nas vésperas do dia da eleição, se arranca Lula do palanque para a cadeia em pleno comício ou carrega-o para a Presidência da República.

No fim de agosto, o acinte: a plena e eternamente indultada JBS, na qual até o STF soberanamente proibiu-se de tocar, mandou informar a quem interessar possa que, sendo assim, fica recusada a auditoria forense requisitada pelo BNDES para medir os prejuízos incorridos e mantido Wesley na presidência para comandar, ele próprio, uma “investigação independente” sobre o paradeiro do dinheiro que os Batista são acusados de nos roubar…

Tudo isso pede uma reflexão serena sobre os custos e benefícios dessa nossa exaustiva ciranda. Ministério Público, Judiciário e imprensa dificilmente erram por aquilo que fazem. Acusar ou prender alguém que não tem culpa nenhuma; mentir frontalmente contra fatos seria expor-se a ser desmascarado na sequência. Mas omissão é o assassinato sem cadáver. Não acusar quem esteja atolado em culpas; não expor a falcatrua de que se tem conhecimento; suprimir ou supervalorizar a circunstância que qualifica o fato, são opções que não produzem flagrante nem prova.

Mas como matam!

O instrumento da delação premiada foi importado dos EUA pela metade. Não ha dúvida, nem sobre a eficácia da ferramenta, nem sobre a perigosa discricionariedade que o seu uso requer. Mas lá o eleitor tem o poder de cassar ou eleger juízes e promotores o que faz a discricionariedade pender sempre para o lado certo. No Brasil, promotores e juízes habitam o Olimpo, e para sempre. E tudo que põem para andar “fecha” necessariamente no máximo em 11. Reclamações para o bispo…

Isso de bom ou mau negócio depende sempre da parte na transação de onde vem a avaliação mas, se algo ficou indiscutivelmente demonstrado nestes quase quatro anos é que o sentido das delações, agora reajustadas “on demand”, depende tanto de quem as colhe quanto de quem as faz, que os marajás com seus “reajustes” leoninos para corrigir inflações que não ha estão ficando cada vez mais ricos e o Brasil cada vez mais pobre, que a reforma dessa mamata está cada vez mais longe e os impostos cada vez mais altos e que as instituições democráticas estão mais arrebentadas a cada minuto que passa.

Muitos políticos merecem o que estão recebendo mas o Congresso é só a ponta mais televisionavel do longo mergulho do Brasil inteiro na permissividade. Fingir que não era essa a regra pela qual todos jogaram não vai nos levar a nada de bom. A alternativa possível é construirmos pela e com a política que ainda podemos eleger e deseleger a cada quatro anos uma saída para reformar o país em vez de deliberadamente acertar ou não tiros em pessoas selecionadas. Oferecer a quem quiser aderir ao Brasil a oportunidade de comprometer-se com uma nova regra do jogo a ser “apitada”, daqui por diante, diretamente pelos eleitores seria um tipo de contrato com garantia de execução. Mas abandonados à vingança da vingança da vingança como vamos, seguiremos nos entredevorando ao sabor de um jogo que, definitivamente, não é o nosso.

Marcado:, , , , , , , ,

§ 36 Respostas para O legado de Janot

  • Fernando Lencioni disse:

    O que mais me incomoda nisso tudo é a tibieza costumeira com que o Congresso Nacional trata os abusos do Poder Judiciário e do Ministério Público – sempre pensando em agradá-los de alguma forma para tirar algum proveito por que é assim que eles agem com os eleitores (o problema é que esse público não está nem aí para políticos e só os usam institucionalmente para garantir a aprovação de leis imorais de interesse de suas corporações sempre sublinhando espertamente que não estão pedindo nada ilegal para não criar dívidas e quando tem oportunidade: ferro neles). Se o que esse cara fez no seu cargo não merece impeachment não sei o que merece.

    Curtir

  • Paulo Gonçalves disse:

    Não sou nem um pouco a favor do PT, porém, é um artigo parcial quando não fala do PMDB, fiel parceiro do PT e seus asseclas, por que o nobre colunista não fala do Democratas do PSDB, entre outros, acredito que não se deva atacar possíveis financiadores desde blog, totalmente parcial, quanto ao judiciário e o ministério público, é de chorar, Janot só resolveu falar do seu ex agregado por que vai ser execrado quando deixar o comando do MP, incompetente lançou aquela denúncia capenga e “xoxa”, sobre um maçônico que nem a maçonaria quis mais, que só para o nobre e financiado colunista é idôneo por que faz muito para o Brasil e seus amigos, vide mineradoras Canadense, independente dos seus inúmeros crimes, membro do grande e inocente PMDB, voltando ao judiciário quem têm Gilmar Mendes como membro deve se questionar o quanto esse e o pior poder do Brasil não vou nem falar do Levandovisk, por ser covardia e não se deve chutar cachorro morto…..
    PS.: No aguardo das suas ofensas ser superior.

    Curtir

    • MARCOS A. MORAES disse:

      texto idiota…MAM

      Curtir

      • Paulo Gonçalves disse:

        O texto é idiota, ou vc, também trabalha para este Blog parcial e financiado, pelo atual e honesticimo governo, de um partido também honesto, de um Presidente que fez muito por esse país, em tão pouco tempo, que justifica o fato de ser um governo mais corrupto e comprometido que o do famigerado PT, agradeço ao idiota que escreveu o comentário, que aliás usa o jargão idiota como o blogueiro parcial que escreveu as idiotices acima.

        Curtir

      • Fernando Lencioni disse:

        Desculpe, senhor. Mas debater pontos de vista para o senhor equivale a ofensa? Democracia é isso. Respeitar pontos de vista diferentes dos nossos ainda que sem concordar. Agressão não é debate. Salvo se o senhor não gostar de ouvir os contrários e acha que a melhor solução para isso é eliminá-los de alguma forma autoritária. Se for assim que o senhor pensa, então desculpe, mas o senhor não quer debater, quer prevalecer a qualquer custo e não respeita quem tem opinião contrária. Aí tudo bem. Já entendi. Desculpe tomar o seu tempo.

        Curtir

    • Olavo Leal disse:

      Texto sem pé nem cabeça… Não dá para entender quase nada. Seria bom o uso de uns pontos finais,separando as ideias.

      Curtir

      • Paulo Gonçalves disse:

        Não dá, ou vc também crê que não se deva falar do PMDB, com o mesmo ódio que se fala do PT, talvez vez não se deva falar do PMDB (Puta Mor Do Brasil), desse jeito afinal ela só esta cobrando as orgias que faz para o deleite de políticos, juízes e blogueiros de plantão, se não dá para entender não lê, e não emiti opinião, como um texto não tem pé e nem cabeça se vc não entendeu….

        Curtir

  • Mara disse:

    Recall para tudo e todos. Nós brasileiros seremos mais críticos quando a Educação promover eficaz escolaridade. Críticos de fato, não, manipulados como hoje acontece nas péssimas escolas que temos.

    Curtir

  • Carmen Leibovici disse:

    O que atrapalha a evolução humana é a existência de idiotas.Acho que pobreza de espírito nem educação resolve.Difícil…

    Curtir

  • Flavex disse:

    Então, é esse cenário politico há 20 anos…. somos diariamente assaltados por esses marginais q nós mesmo elegemos e tornamo-se refens deles d 4 em quatro anos – reforma politica já

    Curtir

  • Depois da experiência com a tramitação das “10 Medidas contra a Corrupção” no Congresso – quando o texto proposto foi esquartejado -, existe alguma possibilidade de proposição de leis para reformar o estado ( reforma política, do judiciário, do serviço público, da educação, do tamanho e finalidade do estado, do financiamento de campanhas, etc. ) através de projetos de iniciativa popular? Se existir viabilidade, por quê não ir por esse caminho?

    Curtir

    • Fernando Lencioni disse:

      Infelizmente não por que as reformas demandam emenda constitucional o que não está incluído na iniciativa legislativa popular do Brasil. Sinto dizer isso, pois gostaria de ir por esse caminho também. Mas… como aqui no Brasil o judiciário pode tudo, se houver uma pressão popular forte o STF é bem capaz de “interpretando” a constituição criar uma jurisprudência contra a própria constituição como já fizeram várias vezes e a aceitar mesmo assim uma proposta de emenda constitucional através de iniciativa popular. Quem sabe?

      Curtir

    • flm disse:

      na minha opinião esse é o único caminho: mudar quem manda na pauta de reformas substituindo os representantes pelos representados no comando esse processo.
      não ha como arrumar o país com uma reforma ou pacote de reformas passando pelo congresso na base do toma lá da cá. mudando O COMANDO vai-se fazendo reformas, uma atras da outra, para sempre, na medida da necessidade.

      Curtir

  • Veiga disse:

    Ao menos para mim, o Janot misterio foi finalmente desvendado.
    Todo um plano pavimentado em direcao ao poder que tanto almejava
    saiu-se pela culatra.. Degringolou essa parte ridicula da Lava Jato, representado pelo MPF – o expertise fajuta do Janot e a imperícia de seus procuradores. Enfim, a investigacao vai ficar a cargo
    de quem realmente tem a competencia, Moro e Policia Federal. Janot esta saindo no momento bem apropriado agora que o show acabou.

    Curtir

  • Carmen Leibovici disse:

    Eu acho desta vez alguma coisa no Brasil ,apesar de que nada mudou ainda no modus operandi da privilegiatura ,apenas que a gangue mais perigosa deve sair do jogo:Lula ,PT,e seus asseclas.

    Enfim é mesmo preciso manter o
    foco ,como você,Fernão,tem feito.

    Mudando um pouco de assunto:nessas denúncias repentinas de Janot,por que será que os filhotes perigosos de Lula não entraram?Curioso isso.

    Curtir

  • Carmen Leibovici disse:

    Uma das mais importantes lições a serem tiradas deste trágico episódio da mais que gravíssima omissão de Janot a respeito de figuras tão nefastas para o destino do País-na verdade a mais importante-,por tantos anos, é justamente a que aqui vem sendo destacada:a responsabilização dos que detém poder sobre o destino dos brasileiros.
    Será inacreditável se Janot sair impune desta.
    Ele deveria ter a sua própria prisão decretada.
    Deve haver meio para que isso se cumpra,de preferência por nossas próprias mãos ,e não pelas do STF ou qq outra instituição.

    Curtir

  • Carmen Leibovici disse:

    Ou ,se as Instituições forem de fato instituições responsáveis,pelas mãos delas mesmas.

    Curtir

  • MARCOS A. MORAES disse:

    depois da foto em botequim e da sentença de Fachin o processou avançou de forma lamentável, não acha? MAM

    Curtir

    • Carmen Leibovici disse:

      Por que lamentável?

      Curtir

      • MARCOS A. MORAES disse:

        porque, bem ou mal, sou democrata e acredito no estado de direito que os ratos estão roendo. Pelo que percebo a porrada agora vai comer entre os tenentes de toga da 1ª instância e as demais instâncias. Tenho textos desde a década de 80 e gostaria de enviar um pra vc. Como posso fazer sem que seu mail caia nas mãos de vagabundos? MAM

        Curtir

      • Carmen Leibovici disse:

        É,eles deverão ficar brigando blindados no Olimpo sustentado por nós,e nós assistindo.
        Isso,definitivamente,precisa acabar.Esses caras devem ser passíveis de “olho na rua”instantâneo,sempre que se meterem a ser deuses.Maus “deuses” ,por sinal.

        Você tem Facebook?Se sim,você poderia me mandar por ali.

        Curtir

      • MARCOS A. MORAES disse:

        enviei. Diga se recebeu. é um word. MAM

        Curtir

      • Carmen Leibovici disse:

        Recebi e li.Boa a análise do escritor a respeito de nosso judiciário defeituoso.Mas eu volto a concordar com o ponto de vista deste blog:se tem um bode c****do dentro de casa,voce nao deve tentar conviver com o bode cagao,voce simplesmente poe o bode pra fora de casa.E mais simples e efetivo.
        O que não presta tem simplesmente que sair,ser fechado,despedido,sumir.Ai se faz uma nova tentativa sem os defeitos anteriores.Em outras palavras:juiz ministro,cartórios ruins,tem de ser substituídos com facilidade por NÓS qdo não prestarem

        Curtir

      • MARCOS A. MORAES disse:

        Sim, lhe passei o texto porque foi escrito há 30 anos! Nada mudou e só piorou. A solução passar pelo que o Vespeiro propõe. Mas, o artigo que lhe enviei mostra bem que a casta do Judiciário não aceitará perder os anéis sem luta. MAM

        Curtir

  • Olavo Leal disse:

    Paulo Gonçalves:
    Sobre seu “comentário” de 09Set(16:18), continuo afirmando::
    Texto sem pé nem cabeça… Não dá para entender quase nada. Seria bom o uso de uns pontos finais,separando as ideias.
    Faço minhas as palavras de Fernando Lencioni (09Set/16:54).
    Jamais defendi partido A ou B, em meus comentários. Comento fatos. Se meu posicionamento não agrada, argumente contra. Não dói nada.

    Curtir

  • Sergio Micheletti disse:

    Fernão, quero acreditar em sua tese de que o Presidente da República está caindo por tentar começar a mexer na “privilegiatura”. Porém, dado o histórico dele e seu grupo, como se explica esta “conversão”? Obrigado.

    Curtir

    • Fernão disse:

      ja me perguntei isso e tendo a pensar que é pela falta de um compromisso explicito contra isso para conseguir chegar à sua presidência acidental.
      mas não perco muito tempo nesse dilema. apenas constato que ele o tem feito sem nenhum lucro e com enorme custo pessoal e em me agarrar à oportunidade de ver afirmado a partir daquele posto o que eu prego ha 50 anos, e fazer o que estiver ao meu alcance para que o Brasil não perca a oportunidade de dar esse passo ou de discutir uma vez na vida a verdadeira causa da sua doença

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento O legado de Janot no VESPEIRO.

Meta

%d blogueiros gostam disto: