Falta a boa e velha “terceira idéia”

26 de maio de 2021 § 28 Comentários

Toda hora alguém tira mais um nome da cartola. Mas não conseguem estabelecer-se os representantes tentativos da “terceira via” no baralho eleitoral de 2022 porque a esquerda, agarrada como é, inegociavelmente, ao osso dos privilégios da privilegiatura, bloqueia o caminho para a “terceira ideia” que poderia dar-lhes consistência: a da boa e velha democracia. Vagam todos por aquele mesmo deserto do gênero, da raça e do meio ambiente em que anda perdida a esquerda internacional depois que “o sonho acabou”, e mais, na versão macunaímica, deste patético “cloroquina ou não cloroquina” a que tudo se reduz no país onde já falta até a comida que só ele produz porque a adesão à democracia requer a guerra ao privilégio que é proibido declarar.

Existem mil razões sólidas como rochas para qualquer democrata ser antibolsonarista. Mas a esquerda só recorre às que não param em pé. Democracia, por definição e por registro histórico, é o repúdio do privilégio, a criminalização da desigualdade perante a lei em cuja defesa trabalham unidos os lulas e os bolsonaros e mais quase tudo que, no establishment político brasileiro, transita entre esses dois polos.

O Brasil é essa tragédia de ópera bufa porque o País Real permanece excluído da política que lhe é imposta pela progressiva estatização dos sistemas partidário e eleitoral que resulta em que menos de 30 dos 513 deputados federais “eleitos” receberam votos diretos em seus nomes. Todos os outros entram no Congresso pela janela do voto proporcional que, dado a indivíduos diversos, acaba sendo atribuído a partidos de que o eleitor não sabe sequer o nome que os redistribuem como querem aos diletos amigos do dono da agremiação, ela também criatura do Estado e não do povo.

Vindos obrigatoriamente da privilegiatura, posto que é “ilegal” um candidato engendrado pelos próprios eleitores passar ao largo dos “partidos”, chegam ao poder pelas trilhas viciadas do Sistema e, portanto, só com elas têm um compromisso de vida ou morte. Até os cargos executivos, os únicos que realmente expressavam a vontade declarada de cada eleitor à urna, estão hoje sob suspeição em função do insuspeitíssimo decreto dos 11 monocratas que declarou bolivarianamente “inconstitucional” o trecho da mini-reforma eleitoral de 2015 feita pelos representantes eleitos do povo brasileiro que aprovou a emissão de uma contraprova em papel do voto eletrônico depositado.

A “democracia brasileira” é, portanto, ela inteira, uma clamorosa fraude, e acoplar a ela a expressão “representativa” torna essa fraude um escárnio. É isso que nos faz miseráveis ao ponto de não termos condições de disputar vacinas na velocidade que faz por merecer quem trabalha triplicado para construir este país apesar desses parasitas.

O repúdio a esse estado de coisas, dos palácios da privilegiatura para fora, é tal, no Brasil inteiro, que ha risco de linchamento se qualquer dos produtos do Sistema ousar sair à rua sozinho. Por oposição depreende-se que quem se apresentar ao eleitorado defendendo a idéia de dar ao povo o direito de eleger quem ele quiser e deseleger quem o trair, junto com o de recusar as leis escritas com o único propósito de desviar dinheiro ganho com suor para comprar privilégios mediante recursos como o recall, o referendo e a iniciativa do povo de fazer leis com força impositiva aos “seus representantes”, em vez do contrário – vulgo democracia – será carregado em triunfo até o trono presidencial. E se mostrar ser sincero esse amor, protagonizará o milagre de fazer o Brasil percorrer voando os dois séculos e meio em que permaneceu excluido da modernidade e atolado no sistema feudal que ainda está aí.   

Mas nem essa evidência destrava esses “candidatos” de proveta. Em vez disso, o antibolsonarismo, que é irmão gêmeo do próprio, só com sinal trocado, continua procurando – na televisão, nas redes sociais, nos circos e até dentro das cadeias onde Fernando Henrique Cardoso finalmente encontrou “o seu” – um indivíduo, uma pessoa e não uma idéia nova. O bolsonaro deles, enfim, que lhes garanta, só pelos seus belos olhos, a volta ao Poder que é, única e exclusivamente, o que lhes interessa, e não curar o Brasil da doença do privilégio institucionalizado que é terminal. Como não acha, apela para todo tipo de truque sujo, como os fabricados em série por esse STF ostensivamente aliado ao crime que está nos condenando a todos ao risco iminente de sermos transformados em mais um estado-bandido como tantos que já emporcalham o mundo por aí.

É o terror dessa perspectiva que elegeu Bolsonaro pela primeira vez. É o terror redobrado dessa perspectiva, depois de espetáculos espantosos como o dessa CPI e, antes dela, o da “saída do armário” do STF, que vai por o país pela segunda vez diante dessa escolha de Sofia.

Apesar da superexposição que lhe dá a imprensa da privilegiatura, essa direita que sonha com “regime militar” é um punhado de velhinhos que delira com um animal que já estava em extinção 57 anos atras, em 1964: os militares que foram morrer pela democracia na Itália sem te-la em casa, e que não duraram o suficiente nem para devolver o poder aos civis em 1965 como prometiam. Desde aquela época o país convive com os militares reais. Na essência do que os diferencia de nós nesses tempos de paz que não são suspensos desde a Guerra do Paraguai, são iguais ao resto dos funcionários públicos: sobem na vida, do ingresso na corporação até o túmulo ao fim de longa e tranquila aposentadoria (e em alguns casos até depois da morte) por decurso de prazo. Ainda que tendo de mostrar um pouco mais de serviço que o funcionalismo civil para ganhar o próximo galão no ombro, estão à salvo dessas tempestades cada vez mais frequentes que dizimam vidas inteiras de dedicação ao trabalho às quais estamos tanto mais sujeitos, nós plebeus, quanto mais leis garantindo a própria “excelência” os presidentes-sindicalistas dessa e das outras corporações do funcionalismo aprovarem para si mesmos.

Por isso a primeira providência do PT, se voltar ao poder, será STFizar esse funcionalismo armado para não sair nunca mais dele pois, se há algo que os diferencia da direita é que não cometem o mesmo erro duas vezes.

O resumo, senhoras e senhores, é que não ha saída fora da democracia, aquele regime em que o povo manda no governo e nos funcionários públicos, que só se estabelece se e quando ele se mune de armamento institucional concreto para dar-lhe poder para tanto. Se não surgir ninguém disposto a empunhar essa bandeira, o melhor é emigrar.

Marcado:, ,

§ 28 Respostas para Falta a boa e velha “terceira idéia”

  • A.(sno) disse:

    À moda do que se diz em alguns filmes: Fernão, seu nome do meio é LUCIDEZ!

    Curtir

  • Rubens Perez Filho disse:

    Muito interessante porem nao indica o caminho de COMO FAZER! Leio e gosto muito do q você fala mas o grande problema é como,sob poderes todos aparelhados e organizados, poderemos alterar radicalmente essa situação. Sugiro novamente que voce e outros muito poucos jornalistas descentes liderem ações concretas q nos levem a mudanças importantes. O país esta nas mãos de MÁFIAS! Abs

    Curtir

    • Fernão disse:

      Vou repetir, Rubens,

      Tudo que o povo realmente quer, até mesmo derrubar governos do PT que todos nós achávamos impossível até acontecer, de fato acontece, mesmo no Brasil onde as barreiras são as que v conhece.

      Querer democracia, historicamente, tem sido questão de saber o que é democracia. Daí ser a censura arma por excelência dos antidemocratas. É o melhor jeito de não deixar o povo saber o que é democracia.

      Eu faço a minha parte furando essa censura. V deveria fazer a sua trabalhando para espalhar a boa nova.

      É assim que funciona, seo Rubens…

      Curtido por 1 pessoa

      • Paulo Murano disse:

        Sobre verdades, a beleza das flores aos olhos humanos está está em vê-las jovens em desabrochar. Quanto a nós humanos, aos olhos da Criação, a beleza esteja na morte, como neste comentário de flm, que assume desastre do barco que atraiu almas toscas ao seu comando.

        Curtir

  • Gilson Almeida disse:

    Pronto. Tudo esta claramente exposto. A democracia, tão falada, é apenas uma palavra. Talvez nunca tenha existido mesmo. Como conviver com esta clareza mostrada, tão contudentemente, pelo Fernão. Este é o nosso desafio.

    Curtir

  • Milton Leite Bandeira disse:

    MILTON LEITE BANDEIRA Juiz de Fora, 26 Maio 2021  TERCEIRA IDEIA SÓ PODE ADVIR DO ‘TERCEIRO SETOR DA  CIVILIZAÇÃO BRAZILINDIA E DA CIVILIZAÇÃO DO TERCEIRO  MILÊNIO’.  Só uma Deusa da Cultura da Realidade Virtual salva o Brasil do seu auto-engano MUDANÇA DE PARADIGMACULTURAL DA CIVILIZAÇÃO BRAZILINDIA ‘UMM’ UNIVERSIDADE DO MIM MESMO SINARQUIA DE FILÓSOFAS  & FILÓSOFOS DA  ‘MENSTRATA’ INTERNECTUAIS DE MINAS GERAIS “Os Partidos de hoje são, sobretudo máquinas de poder e clientela pequena ou mistificada consciência da vida e dos problemas da sociedade, das pessoas; poucos ou vagos ideais, programas, zero. Os Partidos ocuparam o Estado e todas as suas instituições, a partir do governo. Ocuparam as instâncias locais, os institutos de previdência, os bancos, as empresas públicas, os institutos culturais, os hospitais, as universidades”. (Enrico Berlinguer).

    BRAZÍLIA quer deixar de ser lagarta, quer ser CRISÁLIDA para poder voar como uma BORBOLETA, criando numa oitava superior um laboratório especial/espacial de imaginação, criatividade e experimentação.   Quer se tornar diferente de todo o país, embora culturalmente toda a nação esteja devotada a contribuir para a criação  desta diferença. Quer recolher os melhores exemplos dos 27 Estados da federação, das 192 nações do planeta e criar “#GNOSOS BRAZIL: – OUTRA MÍDIA É POSSÍVEL” através do FÓRUM PLANETÁRIO PERMANENTE’ (FPP-2005), Fórum Humanista de Consciência Planetária – um colóquio de 1001  possibilidades. 

    Que vai gerar “#GNOSOS BRAZIL – AGENDA 22 – COLÓQUIO ENTRE CIVILIZAÇÕES: MUTAÇÃO CULTURAL COMO PROCESSO DE SALVAÇÃO, LIBERTAÇÃO, REDENÇÃO, REVELAÇÃO, REALIZAÇÃO E PAZ DO BRAZIL E DA HUMANIDADE”. Resultado síntese do ‘FÓRUM PLANETÁRIO PERMANENTE’ (FPP-2005) da UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA e do ‘FORUM BRAZILINDIO – Reexistencia cultural – Comunicação global’, da CAMARA MUNICIPAL DE JUIZ DE FORA.

    Exclusivamente por causa dos homens é hora dos brazilindios saberem que um futuro glorioso nos foi tirado com o nosso próprio consentimento, por ocasião da  implantação da Republica.

    Que deve agora (2020) ser devolvido pelo olhar atento da “MENSTRATA – O CORPO CAUSAL DA IMORTALIDADE” (quinto principio evolucional) debruçado sobre a resignificação dos símbolos nacionais a partir dos postulados do 5° SISTEMA DE EVOLUÇÃO DA CULTURA PLANETÁRIA, de um “PROJETO DE VIDA/NAÇÃO”, recorrendo-se a ‘EUBIOSE – A MITOLOGIA DO FUTURO – A CIÊNCIA DA VIDA PLANETÁRIA’, acolitado pelas disciplinas da Vexilologia, Heráldica,  Semiologia, Semiótica, Mitologia e Filosofia.

    Com estes seis símbolos e as sugestões constantes da presente obra, o BRAZIL (Com ‘Z’, ele é vivo, do grego antigo – Decreto nº 9917, de 18/7/2019) reencetará a sua saga de “SANTUÁRIO DA INICIAÇÃO HUMANA A CAMINHO DA SOCIEDADE FUTURA” (JHS). Começando por aquele projeto do construtor de Brazília, “32° – PLANO DE METAS DE JK: 5 ANOS DE AGRICULTURA PARA 50 ANOS DE FARTURA”. “Todos os partidos são variantes do absolutismo. Não fundaremos mais partidos; o estado é o seu estado de espírito” (Raul Seixas). MILTON LEITE BANDEIRADefensor dos Direitos & Deveres HumanosPromotor Mobilizador Cultural  Presidente da ASSDAK & MOVIMENTO PRÓ-MORALIZAÇÃO DO PODER LEGISLATIVO (MPMPL – 28 ANOS). 

    Curtir

  • Outra cristalina exposição sobre o estado da nossa democracia.
    Recentemente o Instituto V-Dem da Universidade de Gotemburgo publicou um importante trabalho que mostra através de diferentes abordagens o estado da democracia em diferentes países. Desde as chamadas democracias liberais às autocracias, passando pelas democracias eleitorais como a nossa.
    https://www.v-dem.net/en/publications/democracy-reports/
    Fenómeno mundial, e não poderia ser diferente nesse nosso país presidencialista, as sociedades cada vez mais alheiam-se dos seus interesses e preferem deixar que alguém os venha conduzir.
    Não será um próximo PR quem nos salvará a não ser nós mesmos e essa conscientização terá que passar, além do voto distrital com recall, pelo fortalecimento do Municipalismo; municípios fiscais autónomos que empreguem seus impostos nos serviços públicos de qualidade que a população necessita.
    Sem o verdadeiro interesse e controlo do orçamento municipal, o eleitor contribuinte continuará mal atendido pelo primeiro autocrata eleito que apetecer.

    Curtir

  • Mário Rubial Monteiro disse:

    …ou emigrar. Acho que é isso. Insisto que, em 521 anos não progredimos nada. Somos um dos países mais injustos do mundo com uma concentração de renda criminosa. Talvez tenhamos de recuperar a velha frase dos anos 60:
    O ÚLTIMO QUE SAIR APAGUE A LUZ.!
    Triste.

    Curtir

  • Gilson Almeida disse:

    Esta atitude é conformista. Vamos fazer nossa parte. Até difundir o que é escrito aqui, será util.

    Curtido por 1 pessoa

  • Jayme Cueva disse:

    Art. 5* CF 1988-Direitos e garantias fundamentais: ler salário mínimo e itens que deve assegurar a uma família: alimentação, habitação etc. Hoje, entre e 7 e12 mil reais. “Democracia começa com três refeições por dia. (Millôr Fernandes). Tanto incensamento, mas a Carta interessa até onde atende à privilegiatura. O livro recém publicado de Modesto Carvalhosa é um primor de projeto! Infelizmente, me trouxe à memória a anedota dos ratinhos: como saber se está à espreita ao lado de nosso buraco pra sairmos da toca em busca de alimento? Um sininho pendurado no pescoço do bichano resolverá, diz o inteligente. E o sensato: E quem endurará o sininho no pescoço da fera? É à nossa imagem e semelhança, eis o país das privilegiaturas. SÓ A EDUCAÇÃO VENCERÁ AS PRIVILEGIATURAS!!!

    Curtir

  • Flm disse:

    O Millor que me perdoe mas é o contrário: “Três refeições por dia só começa com democracia”.

    Curtido por 1 pessoa

  • Ulrich Dressel disse:

    Ótimas colocações. Porém: quanto erro ortográfico! Sabem que isso desautoriza? O próprio autor se define com “plebeu” no texto. Que tal dar um jeito? Estou à disposição. Trabalho voluntário, pois há anos observo que brasileiro já não domina seu “vernáculo” (alguém ainda sabe o que significava isso?). ulrich.dressel@gmail.com

    Curtir

  • Jota Guedes disse:

    “O Brasil é essa tragédia de ópera bufa porque o País Real permanece excluído da política que lhe é imposta pela progressiva estatização dos sistemas partidário e eleitoral que resulta em que menos de 30 dos 513 deputados federais “eleitos” receberam votos diretos em seus nomes.”

    Isso eu não tinha me dado conta! Estamos ferrados mesmo!

    Curtir

    • Ulrich Dressel disse:

      Óia o vernáculo:
      Isso eu não tinha me dado conta! Estamos ferrados mesmo!
      eu não tinha me dado conta “de” …>
      Disso não havia me dado conta.

      Curtir

  • SONIA M CARVALHO disse:

    Erro gigante achar que Bolsonaro e o chefe da ORCRIM se assemelham. E uma das maiores diferenças, não a única, é que o Brasil está há mais de dois anos com um presidente que não rouba as finanças públicas e que emprega recursos no desenvolvimento concreto do Nordeste.
    Na verdade, Bolsonaro é a voz da imensa maioria silenciosa, o arauto dos eleitores que rejeitam todo o descalabro que a esquerda produziu no país durante mais de 20 anos: a esquerda soft de FHC e a extrema esquerda do PT, que dominaram o estado brasileiro mais tempo do que os 21 anos dos governos militares.
    Bolsonaro representa os cidadãos que não querem o país nas mãos de corruptos, extremistas, cachaceiros. Ele tem o apoio maciço do povo porque é o único que tem coragem de enfrentar os corruptos e sua militância raivosa.
    No dia que Bolsonaro roubar, enviar nossos recursos para ditaduras sangrentas, perpetuar a miséria no nordeste, construir estádios de futebol ao invés de hospitais, nomear ministros que roubam até sangue, merenda e empréstimos dos aposentados, beber cachaça e mijar nas calças em público, aí sim, se poderá dizer que é semelhante ao cavalo de Átila.

    Curtir

    • A.(sno) disse:

      Ditado: “o pior cego é aquele que não quer ver”.
      Errado: o pior cego é aquele que acha que só ele enxerga!
      ACORDA!, Dna. Sonia… Roubar não é o único pecado que assola “esse país”!

      Curtir

  • GATO disse:

    Ora, hora, Ora,hora vamos devolver tudo aos índios e pedir desculpas, ir embora pois agora já é possível viver em barcos de U$ 500 milhões, pra que ficar tendo que derrubar mata e queimando-a, muita fumaça. Se os índios não quiserem, vejam se realmente o patrícios querem de volta, acredito que agora já aprimoraram os saberes, não vão querer. Se nada disso der certo, vamos todos pra Brasilia, 220 milhões vivendo lá com a riqueza que lá será distribuída ao se fazer uma IPO do resto do país com exclusividade para chineses, vai dar pra forrar a caixa Preta de todos os PausBrasilis, nativos ou inclusivos, seremos uma ilha de excrescência ou será excelência. Êta mundão bão.

    Curtir

  • A.(sno) disse:

    Grato por não ter usado o “13” na 1ª ilustração… Dá engulhos!

    Curtir

  • Paulo Murano disse:

    Quando o aqui auto declarado arauto da democracia apaga comentários contrários ao entendimento a ele possível, testemunhamos artifícios visando a transformação do ar respirável em peido de merda.

    Sobre verdades, a beleza das flores aos olhos humanos está está em vê-las jovens em desabrochar. Quanto a nós humanos, aos olhos da Criação, a beleza esteja na morte, como neste comentário de flm, que assume desastre do barco que atraiu almas toscas ao seu comando.

    Curtir

  • Paulo Murano disse:

    Bem, o primeiro comentário de um leitor deste texto de flm foi apagado, assim como respostas do autor. Perdeu sentido meu post. Resta esperança que seres capazes comp vc subjuguem ego e amem a vida — a natureza sobreveio e sobrevém, sempre. Infinitas expressões de vida há no planeta. Honre sua espécie e pulverize as moscas que aqui lhe fazendo sentir valor em chafurdar na merda homo sapiens. Deslizar na pista de gelo é moleza e assim fazem os bem educados para a morte.

    Curtir

    • Paulo Murano disse:

      Oi, retiro o que eu escrevi sobre flm apagar comentários. 0corre que o que aqui postei refere-se à matéria e comentaristas anteriores. Tentarei dar um copy e cole no local correto. Abs

      Curtir

      • Paulo Murano disse:

        Oi, retiro o que eu escrevi sobre flm apagar comentários. 0corre que o que aqui postei refere-se à matéria e comentaristas do post anterior. Tentarei dar um copy e cole no local correto.

        Importante esclarecer: parte das ideias de flm são pessoais dele e não comungo natureza do entendimento. Igualmente é incorreto meu texto sobre ele apagar comentários contrários. Foi falha minha publicando meu comentário aqui e que referia-se ao texto flm do dia 24

        Curtir

      • A.(sno) disse:

        O sr. TODO é um engano! Não precisa se desculpar: uma boa parte da humanidade é um engano…

        Curtir

      • A,(sno) disse:

        E eu que assino A.(sno)!!!

        Curtir

      • A.(sno) disse:

        O sr. entrou aqui pra jogar pedras no Fernão, a troco de nada, e foi obrigado a por o rabinho entre as pernas. Vê se aprende…

        Curtir

Deixe uma resposta para Fernão Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Falta a boa e velha “terceira idéia” no VESPEIRO.

Meta

%d blogueiros gostam disto: