Lendo jornais 26/10

26 de outubro de 2020 § 14 Comentários





Marcado:

§ 14 Respostas para Lendo jornais 26/10

  • Tamas Rohonyi disse:

    Palavras ( faladas ou escritas ) são armas. Assista vídeos de Jordan Peterson sobre o tema.

    Sent from my iPhone

    Curtir

  • roubalheira institucionalizada…

    Curtir

  • Carmen Leibovici disse:

    tive a curiosidade de dar espiada em quem é jordan peterson.em síntese,não capturei qual é a dele.da pra darem uma definida,em síntese,em qual é a dele?por que ele é um ” corajoso homem”?
    o que me chamou a atenção é que ele tem problemas com drogas químicas.nao me aprofundei, entretanto eu penso que pessoas com esse tipo de problema têm dificuldades de “sair da caixa”que sua problemática per si os envolve.creio que pessoas com problemática de drogas não conseguem transcender de forma ” consistente”e sustentável em direção a uma ideia “nova”.
    em todo caso,não entendi o cerne do que esse palestrante palestra.

    Curtir

    • A. disse:

      Bom dia, Dna. Carmen!
      A prudência e a sensatez me mandam ficar dentro do pijama e não me meter nesse assunto. Mas é muito agradável trocar ideias com a sra.
      Não assisti aos vídeos desse cidadão porque não falo nem ouço em língua inglesa.
      Pesquisei e conclui baseado em artigo da “Época” (2018): parece qua a coragem do Sr.Jordan é se colocar ao lado dos conservadores na disputa (insana, como quase todas as disputas hoje em dia) conservadores X progressistas. Atacar supostos defensores de supostas minorias supostamente perseguidas parece que é o seu “ato de coragem”!
      Enfim, outros comentaristas, com preparo melhor que o meu, podem lhe dar uma ideia melhor que a minha.
      Só consegui concluir que o desfecho da coluna de hoje, na Folha, de João Pereira Coutinho, encaixa bem nesse assunto: “O filósofo Isaiah Berlin, recordando Kant, costumava dizer que o paternalismo é a pior forma de opressão.”
      Abraço,
      A.

      Curtir

      • Carmen Leibovici disse:

        Bom dia A,tudo bem?
        Obrigada pelo elogio, é sinceramente recíproco.
        Eu,na verdade,emiti apenas uma impressão e não exatamente uma opinião sobre o Psicólogo em questão.
        Eu concordo que o paternalismo pode se tornar a pior forma de opressão.Eu tenho muito medo dessa pretendida “tutela paternal”que muitos governos andam tentando emular de regimes totalitários que, no fundo e no raso,se consideram “pais do povo”.
        Eu prezo demais a liberdade individual,acho ela um bem precioso que não pode ser roubado de maneira nenhuma.
        Abraço

        Curtir

      • Carmen Leibovici disse:

        bem,de fato não se lê ou ouve por aí contestações do politicamente correto e nem de nada.hoje em dia engole-se qq lixo que apareça sem nenhum questionamento.hoje o cara precisa ser corajoso para dizer qq óbvio ululante.vivemos numa espécie de mackdonalds intelectual ultimamente.eu sempre achei que isso começou quando o sistema de testes foi introduzido nas escolas.ai parou- se de pensar

        Curtir

      • A. disse:

        Valeu!!!!, Fernão, pela contribuição! Obrigado!
        👍 👍 👍

        Curtir

      • Carmen Leibovici disse:

        pensando bem,o que esse senhor faz é abrir os olhos das pessoas para a loucura que o “politicamente correto” está levando as pessoas, e isso é muito bom.
        eu ainda pergunto mais:quem cria esse raio desse politicamente correto?qual é o interesse em chamar uma pessoa transgênero de “ze” ou ” zir” ao invés de “o”ou “a” e obrigar as universidades a adotarem o novo pronome.por que isso? gente!isso é criação de loucura, criação de coisas sem nexo!a quem interessa tanto estupidizar o ser humano?numa outra nota, ultimamente estao humanizando os animais e desumanizando o ser humano.na minha opinião ,isso faz parte de um jogo totalitário para criar uma nova e obediente ordem mundial.os únicos a raciocinarem serão os ” deuses” totalitários ,feito o líder Jim chim ping ( nem sei escrever o nome do líder chinês atual),entre outros que estão dando as cartadas para um novo comportamento humano.precisamos de muita atenção ,pois os tempos andam perigosos para o ser humano na verdadeira acepção da palavra

        Curtir

      • Carmen Leibovici disse:

        “entre outros que ESTARIAM dando as cartadas…”

        Curtir

  • Pedro Marcelo Cezar Guimaraes disse:

    A mafia político-partidária, composta de políticos que saqueiam reiteradamente a nação e fazem do poder no Estado meio de vida (profissionais), deita e rola nas emendas orçamentárias…. Furtam o dinheiro e a esperança do brasileiro que anseia por um Brasil honesto e livre.

    Curtir

  • Ulrich Dressel disse:

    E agora? Anseio por comentários de VESPAS:

    the argument for protecting the right to vote:
    Democracy Journal Team dajoi@democracyjournal.org por email.actionnetwork.org

    11:53 (há 18 minutos)

    para mim

    This election, we have seen voters waiting in line for hours, voter rolls being incorrectly purged, and mail-in ballots being tossed out at higher rates for people of color. Some might argue that this is democracy at work — but many of us see it as proof of rampant voter suppression across the country.

    To highlight ideas to address voter disenfranchisement and suppression, we wanted to feature a piece discussing the importance of protecting the right to vote in the Constitution — a right that, to the surprise of many people, does not exist. Despite this article being published in 2013, its core message still rings true today.

    In his article “The Missing Right: A Constitutional Right to Vote”, Jonathan Soros addresses the conflicts that arise in the absence of an explicit right to vote:

    “The result has been a steady descent into chaos and confusion that threatens the integrity of our institutions at home and our credibility in promoting democratic governance abroad. People wait hours in line to cast a ballot; voting hours and locations change at the last minute; there’s uncertainty about who can vote, whether voters need to show identification, and what counts as identification. Armies of lawyers fight over these rules before elections, and when the results are close, they fight again over which votes should and shouldn’t be counted.”

    The article discusses the idea that voter suppression is a symptom of the lack of protections regarding voting. Soros argues that enshrining the right to vote in the Constitution would help resolve more of these problems in favor of voters — access to the ballot could be extended to millions who are now disenfranchised.

    Jonathan Soros believes it is time to resolve the fights around voting and fulfill the promise of American democracy by joining together in an effort to make the right to vote a part of the Constitution.

    Read the article here and learn Soros’s arguments for protecting the right to vote→

    While voting is not a protected constitutional right, it is a responsibility — please exercise your civic duty today and vote if you haven’t already!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Lendo jornais 26/10 no VESPEIRO.

Meta

%d blogueiros gostam disto: