Divórcios de biografias

13 de maio de 2015 § 15 Comentários

fac1

Parece que o advogado Fachin convenceu o “juri” da sua “inocência” por 20 a 7.

O segredo de todo advogado é fazer-se o apóstolo mais convicto do mundo de qualquer causa que o contratem para defender. Ontem no Senado, Luis Edson defendeu a sua própria das “acusações” que, com sua biografia, fez-se a si mesmo, dizendo-se o contrário do que se dissera, fora e fizera questão de ser desde sempre até então, biografia esta em função da qual foi escolhido para o STF por Dilma Rousseff, do PT, aquela que, a partir do dia seguinte da eleição, passou a dizer e fazer o exato avesso do que dissera, fora e fizera desde sempre e até então.

São casos paralelos de divórcio da própria biografia…

Fica no ar a momentosa questão de saber quem mais está sendo enganado nessa história, além dos eleitores da “presidenta“. Se o Senado estiver certo e Fachin não for o que sempre fez questão de afirmar que era, é Dilma quem estava errada ao indicá-lo para o cargo em função da biografia renegada. Caso contrário, os trouxas somos os de sempre.

Marcado:, ,

§ 15 Respostas para Divórcios de biografias

  • Dr.Eduardo Gonsales de Ávila disse:

    Curtir

  • Carmen Leibovici disse:

    Eu assisti a sabatina no seu inicio e mais tarde um pouco mais.
    Fiquei impressionada.Minutos depois de Fachin ter simplesmente ignorado um aspecto tecnico constitucional que o senador Aluisio Nunes apontou,que e a questao de ele ter advogado enquanto era procurador o que lhe era vetado pela Constituicao,ele exaltou os limites na Constituicao como nao ultrapassaveis em outros momentos.Parecia coisa de louco.Ele tambem ficou citando um tal de Dotti umas 500 vezes para corroborar seus pensamentos,sendo essa tal de Dotti um nao sei quem.Aquele outro,Dias nao sei do que,o relator,ficou horas “puxando o saco”do Fachin e falando sobre o nada, assim como outros,aos quais era permitido ENROLAR a vontade,sem limitacao de tempo,enquanto outros mais criticos tinham a boca calada pela restricao do tempo.Foi um negocio absurdo!Esses caras tem uma pratica impressionante em anuviar a realidade,em nao permitir que a realidade factual apareca.Evidentemente esse Fachin esta ai incluido.A impressao final que fica e que Fachin,com aquela voz melosa e chorosa, da mais valor “ao que sente” do que “ao que e”e parece que a Constiuicao nao importa muito “se nao for”de acordo com o sentimento teatralmete meloso desse homem.
    Como aquele relator falou tantas vezes,o que digo deve parecer a eles calunia,distorcao da realidade,e etc,mas nao,o que comento e exatamente o que ficou claro:para essa turma a Constituicao do Brasil e o de menos.Para mim,e assustador.

    Curtir

  • Carmen Leibovici disse:

    Tem outro ponto da fala de Fachin que me chamou a atencao:em certo momento ele disse mais ou menos assim:que nao somente as pessoas precisam ir a Justica mas a Justica precisa se impor na sociedade.Algo assim.Para mim,esse trecho de sua fala indica claramente uma posicao politica ,o que nao e e nem deve ser o papel de um juiz,menos ainda de um ministro do Supremo.

    Curtir

  • Carmen Leibovici disse:

    ….Ate porque nao ficou claro qual e o conceito de “justica”para ele,apesar de ele ser um advogado.A justica para ele parece ser relativa e valer somente de acordo com as conveniencias.De novo ,se uma pessoa pretende ser ministro da mais alta corte do pais,fica dificil entender como uma cartinha da OAB do estado dessa pessoa vale mais do que a Carta Magna.E um principio elementar o de que a Constituicao se sobrepoe e prevalece sobre qualquer outra lei ,estatuto,seja la o que for. Ate eu ,que nao sou advogada,conheco esse principio elementar.Como e que ele o desconhece ou o minimiza?Se ele minimiza isso,pode minimizar tudo que desejar.Se esse pequeno fato e irrelevante para ele,outros “pequenos fatos”(eventualmente de grande relevancia para nos)tambem o serao ,se ele se investe da autoridade para decidir o que e “pequeno e irrelevante” ou nao ,a despeito da Lei.

    Curtir

  • Dr.Eduardo Gonsales de Ávila disse:

    O melhor momento foi quando ele se define como “sobrevivente”, também pudera vendia laranjas para sobreviver, hoje vende “bolinhos de engodo”.

    Curtir

  • José Luiz de Sanctis disse:

    20 a 7 contra o Brasil. Como meu pai dizia: “aqui só chovendo um metro de pólvora e caindo um raio em cima”.

    Curtir

  • Ser ou não ser, a eterna questão.

    Curtir

  • Dr.Eduardo Gonsales de Ávila disse:

    FILME DO FINAL DE SEMANA
    a vida de meus ascendente Irineu Evangelista de Ávila e Souza
    MAUÁ -O IMPERADOR E O REI

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Divórcios de biografias no VESPEIRO.

Meta

%d blogueiros gostam disto: