Ucrânia, Brasil e pressentimentos

28 de janeiro de 2022 § 20 Comentários

Acabei de assistir na Netflix o documentário dos acontecimentos na Ucrânia na virada de 2014 para 2015. Um filme terrivelmente lindo e emocionante que nos permite confirmar vivamente que as populações fugidas do totalitarismo, com memórias vivas ou quase do que foi aquilo, estão mesmo duas ou três gerações para traz da decadência moral do Ocidente.

Mas esse foi só o ”subtexto”.

Nós, felizmente, estamos bem mais longe de Putin do que eles, mas o tempo todo tive a perturbadora sensação, vendo o choque mortal que houve lá entre o pais oficial e o pais real totalmente divorciados um do outro, de estar vendo o Brasil de amanhã.

Este nosso pais esta brincando com fogo…

Marcado:

§ 20 Respostas para Ucrânia, Brasil e pressentimentos

  • Fernando Lencioni disse:

    Sem dúvida.

    Curtir

  • Paulo Murano disse:

    A discussão sobre racismo na midia deu-se neste blog no início do mês, mas nunca é tarde para saudar conhecimento de real valor que o Brasil ainda produz.

    Aos interessados no assunto, segue artigo que propicia ao leitor capaz intuir a real dimensão das bobagens do Risério e comitiva:leitura densa que dá a real dimensão das bobagens do Risério e comitiva:

    https://www.cartacapital.com.br/opiniao/sigmund-freud-e-a-cultura-do-politicamente-correto/

    Curtir

    • whataboy disse:

      Esse texto pergunta o porquê de muitas pessoas brancas que negam serem racistas vestem-se de preto, contam piadas depreciativas, assediam homens brancos para reproduzir a sexualidade exacerbada da mulher negra e imitam macacos. Quanta ciência, quanta densidade hein!?

      Curtir

      • Paulo disse:

        Leu, não releu, extraiu tolices e não entendeu.
        Estude um pouco mais, ou bem mais. Afinal, entender um PhD Professor de Harvard com doutorados em diferentes ciências não é alimento para um mestre bichano quaiquer.

        Curtido por 1 pessoa

  • Paulo disse:

    Assisti o documentário e concordo totalmente com o texto e subtexto do bloguista.

    E acrescento: sim brincamos com fogo tolerando no poder a pior ameaça, cuja destruição está iniciada e nem os mais de meio milhão de mortes de inocentes despertaram o povo do pesadelo que vive o Brasil.para fim ao

    Curtir

  • A. disse:

    Tem gente entrando no VESPEIRO pra recomendar leitura de Carta Capital, G1, Casimiro, etc.
    Aposto que as próximas sugestões serão Jânio de Freitas, Mônica Bergamo e Sakamoto…
    Esse não brinca com fogo: já tá queimado! E ainda por cima, errou de endereço: o post sobre racismo é outro…!

    Curtir

    • Paulo disse:

      Escreveu A, primeira letra do alfabeto e quarta das três faces do autor, a covarde que oculta-se para criticar quem está próximo. Plageando-o: COVARDE!!!

      Curtir

    • jjnatalin disse:

      prezado A. adorei suas ferroadas. No alvo . Os da canhota e sócios da privilegiatura acusaram o golpe. Valeu. Não devemos nunca desistir de tirar a máscaras destes canalhas.

      Curtir

      • Paulo disse:

        Faz tempo acertei que parte dos comentaristas deste blog são hipócritas a escrever tolices.

        Agora são os bichos escrotos que saem dos esgotos do planeta.

        Curtir

      • A. disse:

        jj: se algum comentarista do Vespeiro deseja disputar o título de mais PRESUNÇOSO e mais CALHORDA do blog, desista já. O Paulo é “hors- concours” e PhD nestes quesitos.
        Abração, ótimo final de semana e grato pelo elogio!

        Curtir

  • Fernando Lencioni disse:

    Vendo esse documentário fica muito claro pq os americanos e suíços defendem o direto inalienável de todos do povo possuírem armas. Na segunda guerra mundial a Alemanha não invadiu a Suíça pq sabia que todo cidadão suíço tinha um fuzil em casa e assim o preço a pagar pela tentativa de invasão seria muito alto dissuadindo-os de tal intenção. Até hoje todo jovem que serve o exército leva consigo um Fuzil de Assalto 90 (modelo 1990, 5.6 mm, com funcionamento automático e semi-automático) para manter em casa. É… são muitas lições a serem aprendidas com os suíços.

    Curtir

  • GATO disse:

    Amor, Amor e + Amor, armas pra que? Lutar com quem, com Argentinos? Com Uruguaios? Com Paraguaios, com quem? Aqui é terra de Samba, Carnaval e Cachaça, o resto não tem graça. Lá no Leste Europeu é como o Leste da capital de SP, mas nem aí tem tanta arma, basta uma boa peixeira ou um bom canivete suíço. Love-Love- Love…..

    Curtir

  • Olinda Mallet disse:

    Agradeço a sugestão, Fernão! O documentário é imperdível e uma advertência para aqueles que usurpam o poder que lhes foi concedido pelo povo e para o bem do povo! Brava gente que não merece voltar a sofrer.

    Curtir

  • Beto disse:

    Paulo

    Aproveita o embalo da melodia ” Agora são os bichos escrotos que saem dos esgotos do planeta” e
    “pega a viola e vai embora”.

    Curtir

    • Paulo disse:

      “Pega a viola e vaza” seria mais fulminante. Só que violaria as grades do tempo que retém a percepção humana vulgar, pois conselho do fato seria anterior ao evento motivador já realizado. Concorda?

      Curtir

  • Paulo Murano disse:

    “Oh, Vespeiro”. Repasto de soluções para um Brasil moderno!

    Acima, o título deste blog em outro meio de comunicação da era pré-Internet, seguido do fiel bordão.

    Elogios ao Chef e trocas de receitas são frequentes nos banquetes promovidos. E amam raras especiarías do hemisfério Norte.

    “Bingo”, o programa concorrente, tem patrocínio do Empório da Pesca e sorteios esporádicos de varas e acessórios. Os seguidores buscam aprimoramento nessa arte e alimentam-se daquilo que oferecem as águas dos mares e rios e do cultivo da terra.

    O paladar tem função / atribuições diferentes nessas turmas.

    Impassível, rotando a Terra segue curso em translação; em nada importa a vida que roça e voa na crosta — movimentos inúteis de estúpidos belos e feios, nada importa.

    Curtir

  • Nivaldo disse:

    Jesus, parafraseando a turma de hoje: o bagulho ficou louco no blog. A receita é simples: dê de comer a quem tem fome, depois ensine-o a pescar e incentive-o a conhecer o que pesca e não roubar o peixe alheio. Se tudo der certo ele(nós)vai/vamos aprender a compartilhar, ensinar e buscar juntos o progresso que é inexorável. A receita é básica.

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

O que é isso?

Você está lendo no momento Ucrânia, Brasil e pressentimentos no VESPEIRO.

Meta

%d blogueiros gostam disto: