Igualdade perante a lei

24 de outubro de 2017 § 13 Comentários

§ 13 Respostas para Igualdade perante a lei

  • Saulo Mundim Lenza disse:

    Este vídeo é apenas uma ponta do iceberg nas diversas instituições públicas, em todos os níveis.

    Curtir

  • Fernando Lencioni disse:

    Vcs não estão entendendo. O judiciário é o pior deles. Pq ninguém mexe com eles de medo. É como eu digo: são os príncipes do Brasil. E quando falo judiciário leia-se MP junto. Olha os palácios que eles fizeram para eles mesmos em Brasília. As despesas do STF rivalizam proporcionalmente com as do congresso. Não tem santo nessa história.

    Curtir

  • Fernando Leal disse:

    Prezado Fernão, nem vi o vídeo até o fim, porque já sei que isso é “padrão”, tanto no judiciário, como nos executivos e legislativos em todo o Brasil, desde a mais remota prefeitura até os palácios de Brasília. O que me admira é que pessoas como você e outros da mesma qualidade educacional, cultural e profissional ainda achem que este país tem jeito via eleições e outros tipos de pressão via população, um equívoco desolador para mim, pois não vejo essas soluções (eleições e pressão popular) mudarem alguma coisa, nem nos próximos 100 anos. Apenas uma revolução, que será sem dúvida sanguinária poderá por fim à esses descalabros. Não se engane(m) o Brasil precisa passar por uma guerra civil, longa, feroz e tenebrosa para se tornar verdadeiramente uma Nação. Todas as grandes nações da história passaram por isso para se reerguerem e saírem desse julgo maldito. Sinto muito mas terá que ser assim.

    Curtir

    • Fernando, é verdade que praticamente todas as grandes nações passaram por guerras civis, sangrentas a não mais poder, incluindo aí os Estados Unidos, o grande pais que tem ditado os rumos da humanidade nos últimos (quase) cem anos, quando substituiu a Inglaterra que tanto sangrou para formar o Reino Unido. Poderíamos citar a grande luta para unificação e nascimento do que hoje conhecemos como Alemanha e, para permanecermos na Europa, o que dizer da guerra civil espanhola, tão bem retratada em Guernica. Mas, veja que paradoxo: Não foi a guerra civil que fez da Espanha o que ela é hoje, pois que da guerra surgiu uma ditadura de quase 40 anos que colocou lado a lado Espanha e Portugal (não por coincidência também uma ditadura) como os países mais pobres da Europa Ocidental. A própria China, não se fez grande sob Mao Tsé Tung e suas mãos de ferro, bem o contrário: foi sob Deng Xiaoping que nasceu a grande China que conhecemos hoje. Claro que falamos de povos diferentes, culturas diferentes, mas a guerra moderna se dá sob e sobre o saber, o domínio da tecnologia, não necessariamente das ou nas armas. A quantidade de espanhóis e italianos que temos por aqui não é obra do acaso e sim da fome e falta de oportunidades que assolou tais países, ou mesmo o Japão. À diferença deles, nos falta é vergonha na cara e conhecimento, principalmente o conhecimento de que não devemos esperar esmolas de que nos extorque para se banquetearem.

      Curtir

      • flm disse:

        você quase acertou por exclusão, wilson, mas não tirou a conclusão final. verdade histórica: nem guerras nem ditaduras fazem países melhores. ao contrário. isso não é achismo, é constatação histórica.
        e nós (ou os italianos, espanhóis e outros fugitivos que você mencionou) não temos menos vergonha na cara que os americanos.
        eles é que têm um sistema mais eficiente: aquele que inclui a obviedade de dar poder de policia a quem interessa policiar a política e não o contrário como fazem todos os outros mencionados em que a polícia é selecionada dentro da elite dos bandidos.
        o segredo é o sistema, wilson. quando é o eleitor quem manda e quem decide que lei ele quer e que lei ele não quer, as pessoas certas começam a ser punidas, a vergonha na cara passa ser um imperativo de sobrevivência, em vez da falta de vergonha na cara como acontece entre nós latinos da américa e da europa, e as coisas começam a andar na direção certa.
        eles não têm recall, referendo e iniciativa porque são melhores do que nós. eles são melhores do que nós porque têm recall, referendo e iniciativa atuando sobre o sistema ha 100 anos.
        o resto dessa discussão é pra enganar trouxa. é ficar dando voltinhas no poste, até ficar tonto e cair…

        Curtir

  • Fernando Lencioni disse:

    É isso aí Fernão 👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻

    Curtir

  • Fernando Lencioni disse:

    Que parte que vocês não entenderam na mensagem ou vamos para as ruas para exigir iniciativa popular legislativa ilimitada, plebiscito para aprovação e rejeição de leis em sentido amplo e recall com eleições distritais puras como fizemos para retirar Dilma do governo ou não tem saída?

    Curtir

  • Flammarion Ruiz disse:

    Prezados, nada vai adiantar fazer se continuarmos a ter pessoas mais “melhores” que os demais. É o que nos ensina o movimento que resultou na edição da Carta Magna de Inglaterra em 1215 e de lá para cá tudo que construímos pelos princípios constitucionais adotados, que por compreensão do próprio nome deste ramo do conhecimento e do Direito, se “constituem”, como regra fundante do próprio estado moderno. Se assim “é” e se assim se “constitui”, prezados, está tudo errado.
    Então você, para garantir obediência às regras fundantes do Estado, cria tribunal, que se acerca de querer ser tão merecedor de vantagens, tal qual o tirano que queria tudo para si em 2015 e não admitia igualdade entre as pessoas?
    Além dos privilégios, decorrentes da nobre função, ainda percebem mais do que 600 vezes que seus súditos em um só mês? No que ocorreu melhora? Piorou, hoje temos que pagar para muito mais “nobres”!
    A sociedade deixou de ter um único imperador, para ter centenas, milhares, e até milhões. De que adiantaram estes quase mil anos de evolução? Ou o mundo está errado, ou estamos nós. Pena é que só se muda isto pelo legislativo, por lei. Bem, daí… melhor rezar.

    Curtir

    • Fernando Lencioni disse:

      Vc acha que o João sem terra assinou de bom grado a magna carta? Foi por livre e espontânea pressão. É o que temos que fazer aqui. O legislativo é o poder mais sensível às pressões populares. Tem que ir pra rua, mas com uma agenda. Essa que falei acima.

      Curtir

  • Fernando Leal disse:

    É pouco ou querem mais?

    “Supremo muda feriado do Judiciário de sábado para sexta”
    Coluna do Estadão
    25 Outubro 2017 | 05h30
    LINK: http://politica.estadao.com.br/blogs/coluna-do-estadao/supremo-muda-feriado-do-judiciario-de-sabado-para-sexta/

    Até calendário próprio eles têm.

    “Trem da alegria. O STJ copiou a decisão do Supremo e também transferiu o Dia do Servidor Público de sábado para sexta.”

    Todo mundo faz…A diretoria-geral do Supremo justifica que apenas seguiu uma praxe adotada pela Corte e que a medida visa agradar aos servidores.

    A MEDIDA VISA AGRADAR OS SERVIDORES?

    É possível isso em uma empresa privada?

    Curtir

  • Fernando Lencioni disse:

    Isso é café pequeno em relação a todas as mordomias que eles têm. Pra isso eles nem coram.

    Curtir

  • Fernando Leal disse:

    Isso é apenas um exemplo Xará, mas o que isso demonstra é que estamos dominados por uma SUPER CASTA, sugam nosso “SANGUE” até a ultima gota. A questão é quando vamos tomar vergonha na cara e tomar esse “SANGUE” de volta, nesse caso literalmente.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Igualdade perante a lei no VESPEIRO.

Meta

%d blogueiros gostam disto: