“Quando a América Latina era o futuro”

10 de maio de 2015 § 13 Comentários

la4O MASP de Lina Bo

O Museu de Arte Moderna de Nova York – Moma – acaba de inaugurar a exposição “América Latina em Construção: Arquitetura 1955-1980”, com curadoria de Barry Bergdoll, que o NYTimes saúda como “o tipo de exposição em que o Moma é mestre”, que são aquelas em que “foge-se de uma visão eurocêntrica do mundo e joga-se luz num período e numa produção quase totalmente negligenciada fora de onde aconteceu”.

la1Complexo residencial desenhado por Rogelio Salmona  em Bogota (1964-70)

A exposição aborda uma época, não tão distante, em que arquitetos e governos sonhavam grande e agiam juntos para mudar o mundo para melhor (…) fossem os governos revolucionários de esquerda ou as juntas militares de direita, todos estavam tomados por essa poética do desenvolvimentismo (…) em que os arquitetos acreditavam que os desafios sociais tinham de ser traduzidos pelo design, que as sociedades humanas mereciam novas formas de beleza e que o desenvolvimento progressista adicionava fé à arte, à natureza e à disposição das pessoas comuns de resistir e seguir adiante”.

la2Escola Nacional de Artes de Havana de Vitório Garatti, Ricardo Porro e R. Gottardi

De Cuba ao Chile, do México à Argentina, as cidades do continente estavam explodindo e o que foi construído em lugares como Havana, Cidade do México, Lima, Buenos Aires, São Paulo e outras inclui-se no que de mais inspirado a arquitetura da era moderna jamais produziu”.

Bergdoll confessa-se especialmente “fascinado” pela arquitetura de Lina Bo Bardi e João Filgueiras Lima,  dito Lelé, “que deveria ser melhor estudado“. Ele cita o Masp, a Casa de Vidro, o Sesc Pompéia e “um hospital” de “Lelé“, e aponta a dupla paulista como “duas provas vivas de que os arquitetos latino-americanos não se resumiam a emular os traços de Mies van der Rohe e Le Corbusier acrescentados de alguma luz tropical e de curvas cariocas”.

Era o tempo em que a América Latina era o futuro”, expressão que Bergdoll chegou a considerar para título da exposição.

la5Igreja em Atlantida, Uruguai, por Eladio Dieste, 1958
Matéria sugerida por Katia Zero. Texto original neste link.

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com Rogelio Salmona em VESPEIRO.

%d blogueiros gostam disto: