Uma dúzia de desaforos

11 de dezembro de 2013 § 2 Comentários

a1

Repare o ar triunfante de Fernando Collor de Mello.

Para crimes de corrupção torna-se “de mãe” o coração do PT.

O próprio espírito do Ubuntu: “Eu roubo porque todos nós roubamos. Eu só posso continuar roubando se todos nós continuarmos impunes”.

Vá se acostumando, Madiba velho! Sua história já não é mais sua. Seu texto, agora, é “wiki”…

No mais o partido é muito rigoroso. Para todas as outras categorias de crime segue valendo mestre Getulio: “Para os amigos, tudo; para os inimigos, a lei”.

@@@

a6 

Não ha nenhuma lei de vigência universal impondo o dólar como a única moeda confiável do planeta. Os povos rapelados do mundo é que insistem em não acreditar em nenhuma outra.

Dá-se o mesmo com esse negócio da “hegemonia dos EUA nas Américas” que dona Dilma, ao lado de Raul Castro, disse lá na África do Sul que não admite mais: não são eles, que têm lá as suas chinas com que se haver, que se levantam contra nós; somos os cucarachos que, de livre e espontânea vontade, não paramos de nos rebaixar.

@@@

a7

Diplomas de medicina são vendidos por entre 90 e 180 mil reais pelo Brasil afora, segundo materia especial mostrada pela Globo ontem de manhã.

Pra que tanto!?

Entrando na campanha da Dilma o cara ganha um jaleco branco e sai dando diagnósticos e emitindo receitas por aí de graça.

Principalmente se falar espanhol…

@@@

a8

Benedito Rodrigues de Oliveira Neto, dono da casa que foi o QG da campanha da Dilma em 2010, contrata Erenice Guerra, ex-Casa Civil da “presidenta“, exonerada a bem do serviço público, para defende-lo no TCU em processo por superfaturamento em serviços prestados para o governo federal.

Cuidado! Isso dá AIDS!

@@@ 

a10

O Facebook e o Google puxando um protesto mundial contra a espionagem na rede é como a dona Dilma, do PT da revanche, encomendando a alma de Nelson Mandela, o pai do perdão.

@@@ 

a12

Pais rico faz metro; país pobre faz VLT suspenso, poluindo a paisagem.

Fernando Haddad, o petista bonitinho, nem isso: põe os trens no chão, dividindo a rua com os automóveis na porrada mesmo.

@@@ 

a14

Um dos vascainos daquela pancadaria ja tinha matado um (com certeza, talvez dois) a pau e a ferro em estádios de futebol.

É o de sempre: não ha crime bárbaro no país que não tenha sido cometido por bandido preso pela policia e solto pela Justiça.

PS.: Também foi filmado distribuindo coices pelas arquibancadas um funcionário do governo do Paraná que, quando vereador, fez uma lei obrigando ao cadastramento de torcedores violentos. Quer dizer: de leis “as mais avançadas do mundo” o inferno brasileiro está cheio.

@@@ 

a15

Acabou a moleza!

Prepare os seus filhos. Os shoppings vão ficar iguais às ruas. Neste país sem culpados a moda dos “rolêzinhos” tem tudo para pegar!

@@@ 

a18

Tem uma briga rolando na Justiça. Os aposentados do Banco do Brasil merecem só 30 ou 45 mil reais por mês?

O Banco do Brasil tem 118-mil-a-po-sen-ta-dos!!! Quanta gente tem na ativa ninguém sabe. E, veja bem, todos fazem parte daquela turma que milita no PT e é vítima da “zelite”…

Por coincidência o maior empregador do pais aqui fora também é um banco: o Bradesco inteiro tem modestos 83 mil funcionários, todos tra-ba-lhan-do.

 @@@

 

a20

O presidente do Cade e sobrinho do Secretário Geral da Presidência da Republica, Vinicius Carvalho, anunciou uma “desfiliação retroativa” (a 16 de maio de 2008) do PT.

O sobrinho de tio Gilberto é aquele que costurou o acordo de delação premiada com o misterioso Everton Rheiheimer, da Siemens, para acusar vivos e mortos do PSDB e, a partir de agora, passa a te-lo feito despido de qualquer paixão partidária. Antes de ganhar o Cade ele trabalhava para o deputado Simão Pedro, o tal Secretario de Serviços (?!) de Fernando Haddad que disse e depois desdisse que foi ele que entregou a denuncia do alemão pra mídia, digo, pra polícia.

Depois de descobertas essas conexões, toda essa história contada pelos petistas também “retroagiu“. Aí o ministro da Justiça em pessoa assumiu que foi ele que desovou o pacote.

Foi então que descobriram que a tradução da “confissão” de Rheiheimer foi falsificada para enfiarem lá os nomes dos peessedebistas que não estavam no original. Será que Jose Eduardo Cardoso também vai retro-agir?

@@@ 

a21

Romeu Tuma Jr. está lançando um livro para mostrar como funcionava a fabrica de dossies do PT (aquela dos “alaoprados”) que ele estourou. Também faz revelações sobre como os recursos arrecadados pelo falecido prefeito Celso Daniel, de Santo André (9 tiros no rosto) foram parar na campanha eleitoral do PT.

Secretario Nacional de Justiça do primeiro governo Lula, Romeu Tuma Jr. foi “fuzilado” logo depois de desvendar a falcatrua com a exibição de uma gravação de uma conversa sua com Li Kwok Kwen, chefão do contrabando de quinquilharias chinesas da 25 de Março e arredores a que algum jornal da época “teve acesso”…

O livro chama-se “Assassinato de Reputações” e o autor indiscutivelmente entende do assunto.

 @@@

a00Deus e o mundo estão na lista dos embarcados na roubalheira que rolava debaixo das asas de Gilberto Kassab.

Agora, ele mesmo o único roubo que confessa é o de deputados de partidos alheios. Mas como vender governabilidade pode…

A denúncia da denúncia

1 de novembro de 2013 § 1 comentário

de8

Volto aos fiscais do Kassab, na sequência da Alstom, que são só os exemplos mais recentes de “revelações” feitas na hora exata em que algum escândalo atinge o PT. Quase tudo que se tem lido na imprensa na linha “denúncias” nos últimos anos tem essas mesmas origem e sentido: é muito mais tiroteio de bandido que trabalho jornalístico.

Não escrevo para atacar a imprensa. Insisto porque ainda acredito nela.

Tenho de acreditar. Dos políticos não espero nada. Nem do Executivo nem do Legislativo. Do Judiciário também não. Só resta o “Quarto Poder”, na sua diversidade ainda que minguante.

Como lidar com denuncias endereçadas parece uma questão eticamente sutil e difícil de destrinchar mas não é tanto.

de8

A dúvida não está em publicar ou não publicar as denúnicias que lhe são jogadas no colo. Tem de publicar todas, desde que checadas. Afinal, de um modo ou de outro, é assim que mesmo as que não são politicamente endereçadas começam.

Mas, ainda que checadas e confirmadas o que, diga-se de passagem, as redações já não costumam fazer como antigamente, é obrigatório o “disclosure”.

A desonestidade está em se apropriar indevidamente da denuncia alheia e vende-la como obra própria. É obrigatório contar ao leitor como ela chegou ao jornal quando isso é parte essencial do nexo da história que está sendo publicada. Omitir essa informação de modo a impedir que o leitor use os devidos filtros para entender o verdadeiro significado do que está lendo é, simplesmente, uma maneira de mentir. É deturpar dolosamente – isto é, com má intenção – a verdade inteira que supostamente está sendo “revelada”.

de8

Não me venham com a desculpa de que tomar a iniciativa de fazer isso é abrir espaço para a concorrência. Ou quebrar o sigilo da fonte. No primeiro caso, cai-se no “Eu sou, mas quem não é”? que é a desculpa usada por 10 entre 10 dos ladrões que brandem instituições para nos assaltar onde os seus colegas da rua brandem apenas armas de alcance mais restrito. No segundo, sejamos claros: a justificativa do sigilo é proteger o interesse público e não prejudicá-lo.

O que tem faltado é curiosidade básica demais para ser perdoada. Afinal, pegar fiscal achacador nos tres niveis de governo, se a policia quiser trabalhar, é coisa para se contar por minuto. Você acredita que foi só coincidência este caso “explodir” numa entrevista coletiva convocada pelo prefeito para o dia seguinte de um aumento do IPTU de 30% arrancado da Câmara Municipal no “tapetão” na calada da noite?

de8

E o que lhe parece: esse pormenor é mais ou é menos informativo do que a “revelação” do Prefeito em si mesma?

E alem do mais, a que é que levam essas “revelações”“? Quando a imprensa começar a fazer materias para mostrar quantos participantes algemados desses shows televisivos continuam presos em vez de continuar festejando o “acesso” a informações magnanimamente “obtido” (e o magnanimamente nunca é mencionado) segundo as conveniências dos donos das policias como se isso fosse fruto de trabalho próprio haverá esperança para este país.

Escândalo é o que acontece depois que eles são pegos, algemados, escrachados na televisão com as cabeças cobertas e as sirenes ligadas.

Depois que as luzes da ribalta se apagaram alguém foi condenado? Ou será? Daqui a quantas décadas? E algum condenado foi preso? Continua preso? Está cumprindo pena?

de8

Pois é…

O que de fato está acontecendo, então, quando você vê um carnaval desses na televisão; nos jornais? Quem realmente está sendo beneficiado e quem está sendo prejudicado? Esses shows representam redução ou aumento da corrupção no país?

Para poder responder a essas perguntas com absoluta fidelidade aos fatos a imprensa tem, antes, de fazer uma confissão. E depois, um “mea culpa“.

Se não começar pela imprensa não ha esperança. Enquanto ela fizer parte da farsa não vai…

de8

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com fiscais do Kassab em VESPEIRO.

%d blogueiros gostam disto: