Um gole de ânimo para “vira-latas”

21 de setembro de 2022 § 2 Comentários

Abolição, Republica, império da lei, tudo aqui, quando chega a tanto, é “quase”. Criados e cevados na censura, filhos da contra-reforma, criança abusada pelo pai desde os idos de 1808 e antes, o Brasil não sente de onde vem o que lhe pesa porque nunca viveu outra vida; porque nunca viveu plenamente as conquistas do Iluminismo.

Em compensação, ninguém está mais malhado do que nós. Nós somos os “sherpas” do mundo. Subimos o Everest todos os dias com toda a carga de milênios de opressão nas costas sem nos darmos conta da força que temos.

Qualquer desafiado para as lutas da sobrevivência nos países que correm livres, leves e soltos à nossa frente que enfrentasse 10 dias da loucura, da insegurança e da imprevisibilidade do cotidiano que nos enfiam pela garganta os monocratas e os “presidentes mais honestos do mundo” da vez dava em revolução ou em suicídio em massa.

Nós somos uns Pelés! Uns Isaquias Queirozes!

A sorte do Brasil é nunca ter havido aqui nem um pingo de democracia. Se tivesse havido, se esse fracasso todo fosse nosso, não tinha cura. Como não é, é só tirarmos “eles” das nossas costas que o Brasil explode e dá poeira nesse “primeiro mundo” todo. 

Uma hora dessas ainda vai acontecer…

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com competitividade do Brasil em VESPEIRO.

%d blogueiros gostam disto: