Churchill nos EUA – 1941

13 de dezembro de 2020 § 15 Comentários

Em 7 de dezembro de 1941 os japoneses atacam Pearl Harbor e os Estados Unidos finalmente declaram guerra às potências do Eixo. Para Winston Churchill e a Inglaterra, que vinham havia dois anos aguentando a guerra na Europa praticamente sozinhos, era a salvação, afinal. Churchill embarca então no encouraçado  Prince of Wales e cruza um Atlântico super patrulhado pelos submarinos de Hitler para reunir-se pessoalmente com Roosevelt.

Em 26 de dezembro é recebido no Capitólio na terceira reunião conjunta da história da Câmara e do Senado americanos:

Churchill começou seu discurso com uma piada: “Não posso deixar de refletir que, se meu pai fosse americano e minha mãe britânica, em vez do contrário, eu poderia ter chegado aqui por conta própria”. Houve risos e uma ovação imediata, mesmo de isolacionistas. “Eu sou filho da Câmara dos Comuns”, continuou ele. “Fui criado na casa de meu pai para acreditar na democracia. ‘Confie no povo’ — era sua mensagem. Eu costumava vê-lo ser aplaudido em comícios e nas ruas por multidões de trabalhadores nos tempos vitorianos aristocráticos, quando, como disse Disraeli, o mundo era para os poucos, e para os muito poucos. Portanto, durante toda a minha vida estive em plena harmonia com as marés que avançaram nos dois lados do Atlântico contra o privilégio e o monopólio, e me conduzi com confiança para o ideal de Gettysburg de ‘governo do povo, pelo povo, para o povo’ […]. Em meu país, como no de vocês, os homens públicos têm orgulho de ser servos do Estado e teriam vergonha de ser seus senhores”.

O trecho foi retirado do livro:

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com Churchill nos EUA em VESPEIRO.

%d blogueiros gostam disto: