26 de dezembro de 2019 § 29 Comentários

Bolsonaro não consegue definir se quer estar do lado dos mocinhos ou dos brandidos, graças, obviamente, aos filhos que tem. Ao se recusar a vetar esses “dois juízes”, desafiando frontalmente Sérgio Moro, ele escolheu definitivamente o chapéu preto. Esse cara não dá!

Marcado:

§ 29 Respostas para

  • terezasayeg disse:

    Já se definiu, é ou não é?

    Curtir

  • marcos a. moraes disse:

    comentário covarde. Bolsonaro é o chefe do clã; educou o clã pra isso.

    MAM

    Curtir

  • carmen leibovici disse:

    você está insinuando que todos que usam chapéu preto são bandidos.você deveria ser mais cuidadoso com suas insinuações malignas ,e descabidas

    Curtir

  • A. disse:

    O “cara” sancionou um artigo proposto pelo Freixo!!! Os fãs do homem não querem críticas?????

    Curtir

  • marina alves dos santos disse:

    Eu votei nele, gosto dos ministros dele mas ele tem sido de amargar. A Verdade que temos visto é filhos acima de tudo e todos. Às vezes me envergonho das cagadas do cara.

    Curtir

    • Olavo Leal disse:

      Marina: na realidade, de amargar é o que ele encontrou após assumir a presidência, em 1º Jan 2019. Tentemos nos colocar no lugar dele e presidir um País que durante mais de 13 anos foi (des)governado por uma quadrilha travestida de partido político. Não é fácil. Ele não vai acertar sempre – até acho que erra pouco!
      Precisa do nosso apoio para nos levar a porto seguro, em meio a uma tempestade que ainda não acabou.
      Veja a situação da educação… Quando superaremos a algazarra erigida pela esquerda durante estes anos todos? E por aí vai.
      Apoiemos!

      Curtido por 1 pessoa

      • A. disse:

        Olavo: se não tivéssemos (população+imprensa) ignorado e fingido ignorar os desmandos petistas por 16 anos, deslumbrados porque um torneiro mecânico chegou à presidência, talvez não tivéssemos chegado ao fundo do poço… Vamos começar a repetir o mesmo erro? “Prefiro os que me criticam, porque me corrigem, aos que me elogiam, porque me corrompem”. (Santo Agostinho). Entre seu comentário e o da Marina, fico com ela! E feliz 2020 aos dois!

        Curtir

  • Alexandre disse:

    Não vetou o jabuti (“Emenda Freixo”) e não deu explicações minimamente satisfatórias para não fazê-lo. Cheira mal…

    Curtir

  • Olavo Leal disse:

    Caro A. : com relação ao seu comentário de 27 Dez 08:58:
    1) não ignorei nem fingi ignorar os desmandos petistas, desde 1º Jan 2003;
    2) Uma coisa é criticar, visando contribuir para a correção do erro; outra coisa é posicionar-se contra, o que me parece estar acontecendo.
    Feliz Ano Novo a todos, inclusive ao nosso Presidente e equipe!

    Curtir

    • A. disse:

      Olavo: não podemos ficar aqui eternamente “tirando rebatida”… Reconheço uma má vontade a respeito do Bolso, ambos sabemos por parte de quem. Mas aqui, especificamente, se critica o assunto do juiz de garantias. BOLA FORA do Bolso (assim como tudo que ele faz pra acobertar os filhos)!

      Curtir

  • José Roque Brugnaro disse:

    Meus caros, não se precipitem nos comentários. Deem um tempo ao tempo. Feliz Ano Novo. Quanto à cor do chapéu,gosto não se discute.

    Curtir

  • Cirval disse:

    Quem não percebeu que seria assim não teve o mínimo cuidado de analisar em quem estava votando. Um sujeito que tem 28 anos de vida parlamentar e que, ainda, foi punido no Exército, o que poderia trazer de novo? Nada! Absolutamente nada! Aliás um sujeito que havia passado por, pelo menos, sete partidos, faria o que? O Bolsonada teve o apoio popular maciço no início do seu governo e não aproveitou a oportunidade para mudar o necessário. Deixou o tempo correr para depois criticar o Congresso. E o Congresso, notando o vazio de poder que representava o Bolsonada arregaçou as mangas. E continuou a mandar. Ele próprio disse que não nasceu para ser presidente. Particularmente não queria a reforma da Previdência. Na verdade, não queria nada que pudesse trazer críticas contra si. E virou isso que estamos vendo. Ainda bem que os militares estiveram por trás da indicação de bons ministros, como o Guedes, o Moro, a Cristina e o Tarciso. O resto pode jogar fora que não faz diferença. Vamos ficar mais 3 anos nessa lenga-lenga. Só sai o que o Congresso aceitar e o que o povo realmente pedir. Nas ruas.

    Curtir

    • LSB disse:

      E qual era a opção?
      PSDB (esquerda envergonhada e até mesmo covarde que vivia constragida tentando provar que era tão “social” quanto o PT)?
      NOVO? Que é um NOVO PSDB (que já nasceu constrangido tentando provar que não são liberais “malvadões” e que olham pelo “social”?
      Ciro? Faz-me rir…
      Meirelles?? Nunca teve a menor chance…
      Bolsonaro pelo menos tinha (tem) a coragem de se proclamar ANTI ESQUERDA…
      Monteiro Lobato já disse que uma Nação se faz com homens e livros!
      Não temos nenhum dos dois… principalmente os primeiros…

      Abs
      LSB

      Curtir

  • Herbert Sílvio Augusto Pinho Halbsgut disse:

    Preciso entrar em contato esotérico com meu conhecido Ethan Edwards, aquele senhor honesto, cidadão exemplar nos dos filmes de “cowboy”, para ele me explicar o que significava no”velho oeste” norte-americano o uso de chapéu preto. Era coisa de “bandidos” ou de “mocinhos”? Por aqui parece que a predileção dos vaqueiros é o chapéu preto, talvez por não deixar aparecer muito o sebo e a sujeira gerados pelo trabalho tão árduo e pelo uso sem um lenço amarrado sobre a cabeça, por baixo do chapéu. Quem vai me esclarecer?
    Lá em Mato Grosso, onde nasci na quase metropolitana Campo Grande, todos sabem o que significa um boi de , digamos, traseiro preto: é aquele que se comporta mal no pasto e nas baias, não deixando em paz nem as vacas e seus bezerros, nem os outros bois que não tem traseiro preto e que, por vezes derrubam com suas investidas truculentas os peões de seus cavalos. É o boi que tem comportamento à la Mephistófole: diariamente infernando a mansidão do rebanho bem comportado. Geralmente o boi de traseiro preto acaba seus dias isolado num cercadinho, só oferecendo semem para se fazer mais filhotes, eventualmente também com traseiros pretos e assim sucessivamente, gerando lucros aos criadores. Comentava-se, na década de 60, que um desses bois de traseiro preto, passado de mãos em mãos, trazia mais prejuízos que lucros aos proprietários, até que um destes, não sei se de traseiro preto também, vendeu o tal boi infernal para um dos grandes frigoríficos da época, talvez o Swift (?). ou o Bordon (?). Em suma: foi banido do rebanho por mal comportamento! Vamos dar tempo ao tempo e fazermos a nossa parte aqui no braseiro nacional.

    Curtir

    • A. disse:

      Dr. Herbert: o sr. está olhando a árvore e deixando de ver a floresta! A “discussão” não deve ser sobre a cor do chapéu e sim, o seu significado. A intenção da metáfora está em quem a escreveu e não em que a lê. No caso presente, para o Fernão (e pra quem entendeu o sentido) chapéu preto é o lado errado ( a cor aí é um mero detalhe – vale a pena discorrer tanto sobre isso?). Tenha um ótimo 2020!

      Curtir

      • Herbert Sílvio Augusto Pinho Halbsgut disse:

        Ilustríssimo senhor A. – qual é seu nome completo? – devo lhe esclarecer que não sou ” doutor “como muitos dos funcionários públicos no Brasil, mormente os nomeados, que assim se auto-intitulam, mesmo não sendo doutores por não terem defendido teses em universidades, ou recebido títulos – vários – de doutor honoris causa como o senhor Luís Inácio Lula da Silva, cidadão honorário da capital francesa, Paris. Fui Arena, PDS e PRN de onde saí e nunca mais me filiei em partido algum, mas nunca deixei de votar. Fui presidente de sessão eleitoral por anos. A propósito, votei em BOLSONARO, por motivos óbvios: banir os maléficos” políticos” Lula e Dilma para fora da vida pública. Pelo andar da biga… talvez não votarei novamente em Bolsonaro, pois parece que ele não entende seus melhores conselheiros. Considerei alguns notáveis petistas dos primórdios do PT e que mudaram de partido em boa hora. Quanto ao senhor Lula da Silva, nunca o engoli, muito menos os métodos petistas de tratamento dos “outros”, os não petistas.
        Yul Briner, famoso ator norte-americano em memoráveis películas nas décadas de 50,60…, desempenhando um papel de “mocinho” cowboy, também usou chapéu preto. Quantos padres e rabinos usam chapéu preto e não os considero bandidos, sendo obvio e ululante para quem tenha lido o post acima, de Fernão, o significado do “chapéu preto” em oposição a “chapéu branco”, que ele deixou bem claro…
        Explico que “boi de traseiro preto” é aquele que é julgado estar do lado “errado” da história, ou estória, ou do comportamento que se espera de animais no padrão “normal” sob o ponto de vista dos humanos.Por isso escrevi sobre nossos valorosos vaqueiros que usam chapéu preto, que são os “mocinhos” nas fazendas onde trabalham duramente, e aqui está demonstrado a relatividade entre a cor preta do chapéu, que tanto pode servir a mocinhos como a bandidos. Fernão decidiu que o “chapéu preto” é que define a escolha tomada pelo senhor Presidente da República ao recusar vetar os “dois juízes”, mesmo indo contra as orientações do Juiz Sérgio Moro, seu competentíssimo Ministro da Justiça.
        Percebo que o senhor A. não tem lido os meus modestos comentários aqui no Vespeiro.com. e não conhece as minhas “provocações”!
        Fernão em seus \[ Novos posts] nos apresenta um assunto em torno do qual gira uma grande espiral de comentários.Em qualquer polêmica o respeito e a diplomacia conduzem ao crescimento dos intelectos mais afáveis. Tenha sinceramente um excelente Ano Novo!

        Curtir

      • A. disse:

        “Se queres conversar comigo, define primeiro os termos que usas.”
        (Voltaire). Tomando essa frase como premissa, vamos ter que interromper nosso “diálogo”…

        Curtir

      • Herbert Sílvio Augusto Pinho Halbsgut disse:

        Ilustríssimo Sr. A.: não pretendi manter “diálogo” com Vossa Senhoria ao responder o vosso comentário, que considerei deboche. Conversar com anônimos em blog de terceiros é o risco que corremos em tempos de internet. Usa a frase de Voltaire, mas não se apresentou com nome completo Sr.A.. Adeus, Senhor moita, seja quem for.

        Curtir

  • Herbert Sílvio Augusto Pinho Halbsgut disse:

    Ops! Não confundir “rebanho bem comportado” com “povo marcado, povo feliz”! O rebanho democrático sabe conviver e aceitar leis comuns a todos, para o bem estar geral do pasto, pois este, quando mal administrado descamba para a anarquia, perda de autoridade do dono e perda da confiança do rebanho, que rumina,mas pensa. E…, de repente, pode dar em estouro da manada. Em direção ao precipício?

    Curtir

  • turisul disse:

    Mais petista do que o José Antonio Dias Toffoli!

    Curtir

  • Walter Emir Alba disse:

    Autoridades sevem separar o pessoal do funcional, misturar esses conceitos não serve ao país nem à autoridade. Impessoalidade, transparência e integridade pessoal, é uma obrigação de quem quer servir ao Brasil.

    Curtir

  • Ruy Augusto disse:

    Ora, quem faz leis é o legislativo. E essa, aqui tão comentada, veio também de lá. Não pode o executivo usar sempre seu poder de veto. O cerne da questão é polêmico com diferentes opiniões, tanto dentro quanto fora do governo. Uma das metas desse governo é levar a responsabilidade a cada ente federativo. Cada qual assumindo seu papel com seriedade, legislativo, Judiciário e Executivo. E, vejam, que as discussões sobre o tema em tela ainda estão no Legislativo. Inclusive com ações ADIs…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento no VESPEIRO.

Meta

%d blogueiros gostam disto: