24 de julho de 2019 § 9 Comentários

O que confirma duas teses recorrentes do Vespeiro:

1) o Brasil nunca teria descido tão baixo se a imprensa não tivesse puxado o mergulho;

2) só quando ela reassumir seu papel institucional de fiel da balança e abridora de caminhos voltaremos a andar para a frente

§ 9 Respostas para

  • Alexandre disse:

    Pois é, Fernão. Nossa imprensa mais desinforma do que informa (e isso é ainda mais grave num país onde a Academia não faz a sua parte: organizar o debate público). São rasos, desleixados (inclusive no uso de conceitos e terminologias) simplistas e maniqueístas.

    Curtir

    • A. disse:

      Por que “cargas d’água”, num país em que quase nada presta, seria justamente a imprensa a prestar?

      Curtir

      • Flm disse:

        Porque historicamente, enquanto as empresas editoras foram controladas por jornalistas, a imprensa – ou ao menos uma parte dela – esteve à frente de todas as reformas e movimentos de resistência democrática havidos no país: a Abolição, a República, a revolução de 30, a revolução contra o golpe anti federalista de Getúlio Vargas em 1932, o contragolpe de 64 e a resistência ao lulismo.
        Quem puxou o mergulho do Brasil foi a imprensa de herdeiros que jamais puseram os pés numa redação, não sabem o que querem pro Brasil e têm medo de discutir com jornalistas porque não têm nenhuma ideia do que seja a profissão ou porque, tendo enriquecido usando o poder de imprensa para ter vantagens em seus outros negócios, estão mais interessados em saber qual o próximo restaurante da moda em Londres do que com o que vai acontecer aqui, e entregam suas redações a quem se dispuser a lançar mão delas…

        Curtido por 1 pessoa

  • Fernando Lencioni disse:

    Que triste isso Fernão. Agora entendo pq o Estadão deixou de ser “O Estado de São Paulo.

    Curtir

  • Mora disse:

    Ah! Sergio. Leal a quem? Leal com os princípios daquela democracia de 2.000 anos, que hoje é usada com a interpretação que lhe traz mais proveito?

    Curtir

  • Antonio Salles Neto disse:

    Falta levar em conta que a Imprensa não tinha como passar incólume em mais de 30 anos de degradação do modelo da hegemonia socialista que dominou gavetas, corredores, gabinetes, palácios e academias do Estado transformado em Corte.
    A deformação profissional é cruel na maioria das áreas de conhecimento e cultura, no Brasil.
    Jornalistas que preservam o primor da escrita são minoria. Há erros crassos de redação em todos os portais de comunicação, inclusive Estadão, que é referência no uso impecável da linguagem.
    O problema é a escassez de mão de obra primorosa para a indústria de expressão do pensamento.

    Curtir

  • Flm disse:

    Sim. Tudo isso e mais alguma coisa, Antônio…

    Curtir

  • Dr Michel Abib Cutait , Cremesp 20045 , psiquiatra em Itu, há 44 anos disse:

    O mergulho foi , é, e será sempre geral; de tudo e todos; nosso “pathos” é bio-psico-social; a raça humana é grupal . hierarquizada e predadora (como chipanzés, leões, hienas, etc) ; o grupo depende de uma chefia masculina e/ou feminina, hierarquia decrescente, disciplina rígida e meritocracia ( recompensas e punições por acertos e erros); repartimos a caçada, mas não a caça; os mais fortes e espertos comem primeiro ( a minoria egoísta) e os outros , depois ( a maioria altruísta). Nossa união, harmonia e solidariedade poderiam contribuir para o progresso geral a custa de um Superego coletivo muito bem organizado( nesses mecanismos bio-psico-sociais), um ID nacional (projeto nacional ideológico, social e econômico) e de de um EGO brasileiro proativo, justo e competente;recordemos, salvo melhor juízo : nos séculos 18, matamos os Deuses; no 19, os Reis; no 20, os Pais e neste 21, as Autoridades. Depois das atrocidades das duas grandes guerras, do empoderamento das mulheres com a Revolução Industrial ( serviços menos penosos) , a pílula anticoncepcional (provocando queda da feminilidade “feminina” e poucos filhos) e a inutilidade progressiva do Machismo ( construir, destruir e procriar…) , passamos a viver a esmo, ao léu, sem Autoridade justa e competente( – os déspotas esclarecidos-), com muita liberdade para muitos grupos e sub-grupos desordenados , descoordenados e ignorantes ( com a decadência de tudo…) fazendo , desfazendo, desaprendendo (sem recompensas e punições…), confundindo e misturando tudo no Saco Politicamente Correto; todas as profissões, atividades e serviços ganharam quantidade e perderam qualidade; do Jornalismo à Medicina, etc ( com as honrosas ilhas de excelência) ; mergulhamos todos (com ou sem cilindros de 02) no oceano da mediocridade livre , permissiva e “pan-sexualizada’; é uma nova Idade das Trevas; aguardemos um novo Renascimento , Iluminismo, The Bill of Rights, 1776, 1789, Terror ? Bastilha?; tudo e todos nivelados por baixo de hipocrisia, desordem, corrupção, ignorância, ganância e ausência de AUTORIDADE/Punibilidades/Recompensas; estamos no carnavalesco e darwinista Reino do Brasil e Sapucahy, Rei Lulla I e Único ( se não voltar o câncer, voltará ao Poder…) .PS : Machismo é o caráter bio-psco social da hierarquia, disciplina e meritocracia; premia o mais forte e esperto = o Quartel militar ; Feminismo é o caráter da tolerância, perdão e diálogo; trata o mais doente, ferido e necessitado= o Hospital ; “least, but not last”: muitas saudades do Dr Júlio de Mesquita Filho; em 1956, aprendi a ler, no”colo” dele, soletrando as manchetes do Estadão…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento no VESPEIRO.

Meta

%d blogueiros gostam disto: